sábado, 30 de abril de 2011

Destaque Sextante

Um interessante título que a Sextante lançou este mês.


HHhH – Operação Antropóide (Laurent Binet)

Praga, Primavera de 1942, Operação Antropóide: dois paraquedistas checoslovacos são encarregados de assassinar Reinhard Heydrich, o chefe dos Serviços Secretos nazis e da Gestapo, «o homem mais perigoso do Terceiro Reich». Heydrich era o braço-direito de Himmler e o chefe de Eichmann, e os nazis brincavam com o acrónimo HHhH: Himmlers Hirn heißt Heydrich, o cérebro de Himmler chama-se Heydrich.
Todos os personagens deste livro existiram ou existem ainda. Todas as factos relatados são autênticos. Mas por detrás dos preparativos do atentado, uma outra batalha tem lugar, a que a ficção romanesca trava com a verdade histórica. E é necessário levar a história até ao fim.

Destaques Porto Editora

Aqui fica a lista dos títulos que a Porto Editora colocou nas livrarias durante este mês de Abril que agora acaba.


Uma mulher diferente (Penny Vincenzi)

O casamento de Cressida Forrest ia ser perfeito. Com o seu aspeto esbelto e inocente, Cressida daria a mais bela das noivas, e Oliver Bergin, um jovem médico em ascensão, o noivo ideal. Com tudo preparado para o seu dia de sonho, Cressida deitou-se serena e feliz. Mas, na manhã seguinte, tinha fugido – sem causa aparente e sem deixar rasto. E o pesadelo começou…
Chocadas, preocupadas e atónitas, as duas famílias enfrentam um longo e doloroso dia de revelações, à medida que uma complexa e frágil teia de segredos sexuais, conjugais e financeiros vão sendo conhecidos como consequência do desaparecimento de Cressida. Por que razão abandonou ela tudo e todos?
Para onde foi e o que teria a esconder? E se não era a pessoa perfeita que todos julgavam, então quem era verdadeiramente?


Banda sonora para um regresso a casa (Joel Neto)

Os vegetarianos e os nudistas. Os cães e os escritores vivos. Os telefones, o silicone e o socialismo. As raparigas demasiado magras. O Benfica. As mulheres infiéis. O cinema fantástico, os anos 80 e a bem-aventurança em geral. Joel Neto parece coleccionar inimigos ao mesmo ritmo a que via escrevendo. E, no entanto, garante que tem coração – e que, no limite, até é capaz de comover-se.
Neste volume reúnem-se as obsessões e os ódios, os delírios e os afectos daquele que é, hoje, um dos principais cronistas portugueses. Um livro que se lê como quem ouve um disco.
A caminho de casa. «Um casamento pode sobreviver a um homem infiel e pode sobreviver a uma mulher infiel também. Coisa diferente é o amor. Um homem pode ser infiel à sua mulher e, no entanto, amá-la eterna e incondicionalmente. Uma mulher infiel já não ama o seu marido.» «Para que serve um cão? Para que serve um bicho completamente estúpido, tantas vezes agressivo, que cheira mal, que ladra alto, que nos rouba duas horas por dia só por causa do cocó – e que, além de tudo, voltae meia está obstipado, fazendo-nos andar, não duas, mas quatro horas a subir e a descer a rua com um saquinho de plástico na mão?»
«Já não gosto de futebol. Deste futebol. O meu futebol é o futebol dos golos de bandeira e dos penáltis roubados, dos copos pela noite dentro e das zaragatas à segunda-feira de manhã. No meu futebol, vivem-se o ódio e o amor em doses iguais – e, quando alguém nos pergunta se é loucura o que isso é, nós erguemos bem alto o copo e citamos Goethe (não citamos nada) e bebemos a Bruno Paixão.»


O Homem que Gostava de Cães (Leonardo Padura)

Um romance que nos dá um retrato impiedoso da utopia mais importante do século XXI.Em 2004, com a morte da mulher, Iván, um aspirante a escritor, relembra um episódio que lhe aconteceu em 1977, quando conheceu um homem enigmático que passeava pela praia acompanhado de dois galgos russos. Após vários encontros, «o homem que gostava de cães» começou a confidenciar-lhe relatos singulares sobre o assassino de Trótski, Ramón Mercader, de quem conhecia pormenores muito íntimos.
Graças a essas confidências, Iván irá reconstituir a trajetória de Liev Davídovitch Bronstein, mais conhecido por Trótski, e de Ramón Mercader, e de como se tornaram em vítima e verdugo de um dos crimes mais reveladores do séc. XX. Através de uma escrita poderosa sobre duas testemunhas ambíguas e convincentes, Leonardo Padura traça um retrato histórico das consequências da mentira ideológica e do seu poder destrutivo sobre a utopia mais importante do século XX.



Uma mulher em fuga (Marion McGilvary)

Ela tinha uma vida, um marido, um lar. O que a fez abandonar o seu mundo? Edith Lutz, Agnes Morales, ou Agnes McBride… da Escócia, de Nova Iorque, da América do Sul, ou de Londres… mulher de um académico, dactilógrafa, recepcionista, ou governanta… passou grande parte da vida a reinventar-se num esforço para evitar o passado.
Com uma nova identidade e uma nova imagem, Edith aceita um emprego como governanta na casa do editor de sucesso Adam Davenport, recém-divorciado e pai de dois filhos adolescentes, com o intuito de levar uma vida despercebida. Porém, contra todas as expectativas, a relação com Adam torna-se algo mais íntimo, e ela ousa sonhar com um futuro tranquilo.
Mas o passado de Edith está no seu encalço e poderá bater-lhe à porta a qualquer momento… Em Uma Mulher em Fuga, seu primeiro romance, Marion McGilvary envolve-nos numa história de amor que é também uma história de traição – e de segredos fechados a sete chaves.



A Mentira Sagrada (Luís Miguel Rocha)


Será que Jesus foi mesmo crucificado? Terá tudo acontecido como a Bíblia descreve?
Na noite da sua eleição para o Trono de São Pedro, o Papa Bento XVI, como todos os seus antecessores, tem de ler um documento antigo que esconde o segredo mais bem guardado da História – a Mentira Sagrada.
Em Londres, um Evangelho misterioso na posse de um milionário israelita contém informações sobre esse segredo. Se cair nas mãos erradas pode revelar ao mundo uma verdade chocante.
Rafael, um agente do Vaticano, é enviado para investigar o Evangelho… e descobre algo que pode abalar não só a sua fé mas também os pilares da Igreja Católica.
Que segredos guardará o Papa? E que verdade esconde o misterioso Evangelho?

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Terra Sombria (Alyson Noel)

Ever e Damen estão de volta, Os dois estão à procura de um antídoto para a maldição que os impede de estar juntos. Ever continua alimentando a esperança na cura de Damien. Entretanto, Ever conhece Jude e aqui as coisas complicam-se, ela sente-se insegura em relação ao seu destino, e sobre quem será de facto a sua alma gémea.
Em Terra Sombria, o terceiro livro da série Os Imortais, era fácil ficarmos presos ao amor épico de Ever e Damen, no entanto a autora, Alyson Noel volta a surpreender-nos, criando um fantástico Jude. Compreendo bem o motivo das indecisões de Ever.
Desta vez Haven e Miles ficam em segundo plano, a história foca-se em Ever e Damen, embora quando apareçam, eles brilhem. Ouvimos também um pouco sobre Riley (através da ajuda de outros) e as suas supostas aparições. Os meus personagens favoritos de toda a série, os gémeos Romy e Rayne também estão de volta.
Terra Sombria explora um mundo mágico do qual Ever e Damen fazem parte, temas como a reincarnação, os feitiços, o destino são aqui abordados de forma detalhada.
Gostei de aprender como a magia funciona neste mundo, e a forma como Alyson Noel criou toda esta magnificamente intricada e complexa trama.
Terra Sombria é mais uma extraordinária e emocionante leitura da série Os Imortais.
Alyson Noel sabe como poucos manter seus leitores em suspense, percebe-se assim o motivo porque esta serie continua a ganhar novos leitores. Iniciada a leitura sobre Ever e Damen, não conseguimos mais parar.





Autor: Alyson Noel


Editora: Gailivro


Páginas: 320


Género: Fantasia

Destaques Contraponto

Aqui fica a lista dos títulos que a Contraponto lançou durante este mês.



Contos dos Subúrbios (Shaun Tan)

Contos dos Subúrbios é uma antologia de 15 pequenas histórias ilustradas.

Shaun Tan revela os mistérios da vida quotidiana tranquila: animais caseiros, casamentos perigosos, mamíferos marinhos encalhados, estudantes de intercâmbio minúsculos e salas secretas cheio de escuridão e de prazer. As suas ilustrações já o premiaram diversas vezes.
Entre muitos prémios destacam-se o Óscar ganho este ano com a melhor curta-metragem de animação com o filme The Lost Thing, em 2010 venceu o prémio de melhor artista profissional do Hugo Award, em 2009 o World Fantasy Award (que já tinha ganho em 2007) e em 2008 o prémio de melhor livro do festival de Angoulême – o melhor festival de Banda desenhada.




Conspiração 365 – Abril (Gabrielle Lord)

Callum Ormond foi avisado. Ele tem 275 dias.

Uma perseguição corre mal e deixa Cal exposto ao gangue de Oriana. Se for capturado, toda a esperança de resolver a Singularidade de Ormond e ter uma vida normal desaparecerá de novo. Ele precisa de fugir, mas como pode deixar um homem inocente afogar-se? Se Cal sobreviver, terá de decifrar o Enigma de Ormond e arriscar sair da clandestinidade para impedir os médicos de desligar as máquinas que mantêm viva a sua irmã mais nova.
Mesmo que Cal resista até 31 de Dezembro, será que a sua família vai voltar a ser a mesma? O relógio não pára… Cada segundo pode ser o último…

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Destaques Casa das Letras

Aqui fica a lista dos títulos que a Casa das Letras lançou durante o mês de Abril.



Raposas de Fogo (Joyce Carol Oates)

América, anos 50. As famílias começam a dissolver-se e surgem gangues de adolescentes. Os membros das Raposas de Fogo, um gangue feminino liderado pela carismática «Legs» Sadovsky, têm entre treze e dezasseis anos, defendem os fracos e os pobres, e visam conquistar os direitos que lhes são negados por uma sociedade hipócrita.
Possuem armas e, acima de tudo, um segredo que nunca poderão contar, porque isso significaria o fim do seu desejo de justiça.Raposas de Fogo, a história secreta de uma irmandade de sangue marcada por uma fúria libertadora que arde com demasiada força para poder durar, é o romance mais forte e mais impiedoso até agora escrito por Joyce Carol Oates.




Generosidade (Richard Powers)

Quando Russell Stone, um autor frustrado de não ficção, se encontra a leccionar a cadeira de Escrita Criativa, conhece uma jovem argelina com uma presença perturbadoramente luminosa. A exuberância feliz de Thassadit Amzwar atrai e intriga Russell. Como pode irradiar tanta felicidade aquela refugiada do terror perpétuo?
Único, contagiante e mágico, Generosidade celebra simultaneamente a ciência e a imaginação libertada. No seu livro mais exuberante até ao momento, Richard Powers pede-nos para considerar as grandes questões que a humanidade enfrenta, enquanto começamos a reescrever a nossa própria existência.




Contagem Decrescente (Ken Follett)

1958: a Guerra Fria está no auge, os Soviéticos ultrapassam os Americanos nos primeiros passos da corrida para a conquista do espaço. Claude Lucas acorda, uma manhã, na Union State de Washington. Vestido com roupas de vagabundo, está afectado por uma amnésia que o impede de se recordar, entre outras coisas, do seu estatuto profissional.
Acontece que ele é uma personagem central do próximo lançamento do Explorer I, um foguetão do exército dos EUA. Anthony Carroll, agente da CIA e velho amigo de Lucas, anda a seguir o caso. E convém-lhe que a amnésia não passe tão depressa...




A Pior das Guerras (D. J. Goldhagen)

Da Europa ao sul de África, da Guatemala à Indonésia, do Camboja ao Darfur, o genocídio tem sido mais mortífero que a própria guerra, sendo utilizado pelos seus perpetradores como estratégia política deliberada para acabar com milhões e milhões de vidas humanas.
Daniel Jonah Goldhagen põe em causa aquilo que julgamos saber sobre o genocídio, começando por questionar como o deveríamos definir: como apenas uma parte de um problema maior chamado «eliminacionismo».




No Rasto dos Desaparecidos (Susannah Charleson)

Depois do atentado na cidade de Oklahoma, Susannah Charleson recortou uma fotografia do jornal: um tratador de cães exausto, com a cara enterrada no pêlo da sua cadela de busca e salvamento. Susannah, que adorava cães e tinha experiência de buscas enquanto piloto de aviões, ficou tão comovida com esta imagem que decidiu trabalhar como voluntária numa equipa cinotécnica local e depressa ficou a conhecer pessoalmente as longas horas de trabalho, o pagamento inexistente e os resultados, muitas vezes angustiantes, que obtinham.
No Rasto dos Desaparecidos é a história das aventuras de Susannah e Puzzle e da relação forte que se estabeleceu entre ambas enquanto procuram os que se perderam — um adolescente desaparecido, uma doente com Alzheimer que vagueia perdida, no frio, vestígios da tripulação entre os destroços do vaivém espacial Columbia.

Segue o Coração (Lesley Pearse)

Nesta encorajadora, compassiva, afectuosa, envolvente, extraordinariamente bem construída narrativa, Lesley Pearse conta-nos uma deliciosa história, de entrega, de dedicação de inquestionável amor ao próximo por parte de uma jovem mulher, que apesar de um inicio difícil de vida, não se eximiu de viver a vida em todo o seu esplendor e alegria.
Segue o coração - Não olhes para trás, é a história de Matilda Jennings, uma jovem Inglesa, forte, corajosa, esperta, ambiciosa, de bom coração, que vendia flores na rua para ajudar a família a sobreviver. Um dia salva a vida da pequena Tabby, filha de um reverendo, de quem vem a tornar-se ama, e a sua vida muda integralmente.
Acompanha os Milson na sua viagem para a América, onde inumeráveis dificuldades e tristezas mudam drasticamente a sua vida, contudo o seu forte carácter, firmeza e integridade, fazem com que lute tenazmente para dar uma boa vida às filhas, e ajudar os mais desfavorecidos.
As ricas e interessantíssimas personagens criadas por Lesley Pearse, são normalmente rectas, íntegras, cheias de princípios e valores, seus livros são com que um hino as mulheres determinadas, corajosas, combativas, batalhadoras.
As constantes adversidades da vida de Matty impedem-na de ser feliz por períodos prolongados. Numa época difícil marcada por conflitos e epidemias que levam a perda de pessoas amadas, a sua juventude, força e sagacidade, mantêm-na ancorada num porto seguro.
Os dois homens que amou, Giles e James, a relação com Tabby que amou, como sua verdadeira filha, a relação com Peter e Sidney que salvou dos bairros degradados de Nova Iorque e a quem amava como filhos, formavam uma efectiva família.
Uma linda história, um livro magnífico, uma fabulosa mulher que ousou viver, uma vida plena, preenchida e que se realizava na ajuda e amor ao próximo, marcando positivamente todas as vidas com quem se cruzou, seguindo sempre o seu coração. Leia o livro e deixe-se também contagiar por este espírito de entrega, por este amor, por esta linda e solidária Mulher.





Autor: Lesley Pearse


Editora: Edições Asa


Páginas: 784


Género: Romance

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Donzela Sagrada - O Segredo de Thunderland (Diana Tavares)

A literatura fantástica no seu melhor, em Donzela Sagrada a história versa principalmente a mitologia Grega (Mito de Horae), interligada de uma forma bem conseguida e extremamente harmoniosa com as outras mitologias.
A história muito bem construída, com personagens mitologicamente convincentes, dinâmicas, alegres, corajosas, cheias de princípios e valores, narra a jornada de Hana Warren, uma aparente rapariga normal, que é acidentalmente transportada para outra dimensão, durante um passeio com a sua familia, no seu 14º aniversário.
Nesse mundo, Hana descobre a sua identidade como Horae, uma guerreira dos deuses, descendente de um legado místico da sua família. Na companhia de Prue, outra Horae, Hana viaja pelo reino de Thunderland, acreditando procurar uma forma de derrotar a sacerdotisa do país, uma mulher a quem foi dado um imenso poder, mas que a mesma começou a usar para aterrorizar o país. Mas, há medida que a trama se desenrola, as personagens vêem-se envolvidas numa guerra entre os deuses.
Nesta dimensão, a mitologia é realidade – os humanos nela existentes são descendentes de ninfas e de outros “humanos mágicos”, e existem criaturas como os Fohmoire, e os Predadores, as criaturas que, segundo a narrativa, são as criaturas que deram origem ao mito dos vampiros.
A mitologia é um dos pontos principais do enredo. Principalmente, a mitologia Grega, pois os deuses do Olimpo assumem um papel de personagens secundárias, particularmente deuses como Nyx, Eros e Zeus. A mitologia Celta é representada pelos Fohmoire, por sua vez representados por Nika, uma pequena criatura que ajuda as Horae em tempo de necessidade.
E, como referido anteriormente, a mitologia vampírica é representada pelos Predadores, que são “vampiros”.
As primeiras páginas levam-nos a acreditar na qualidade da obra, confirmada posteriormente por uma imaginativa e muito bem desenvolvida trama, que alimenta a nossa imaginação e cria um suspense que nos cola ao livro, fazendo-nos “devorar” página a página até ao seu término.
Uma obra agradável, divertida, que agradará a todos os apreciadores das obras sobre o fantástico mundo da mitologia.





Autor: Diana Tavares


Editora: Euedito


Páginas: 383


Género: Fantasia

Destaques Bis-Leya

Aqui fica a lista dos novos títulos que a Leya lançou, durante este mês, na sua colecção de bolso Bis.



Desgraça (J.M. Coetzee)

Desgraça é muito mais do que um relato social: é um relato de sobrevivência pessoal numa sociedade decadente. Passado na África do Sul pós-apartheid, este romance sincero e despudorado centra-se em David Lurie, professor universitário na Cidade do Cabo, de meia-idade, divorciado, que divide o seu tempo entre o desânimo das aulas e as satisfações momentâneas que encontra numa prostituta. Quando este o deixa de atender, David desvia as atenções para uma jovem aluna, começando uma aventura sexual que, quando tornada pública, o leva ao despedimento e à humilhação.




O Carteiro de Pablo Neruda (Antonio Skármeta)

Mario Jiménez, jovem pescador, decide abandonar o seu ofício para se converter em carteiro da Ilha Negra, onde a única pessoa que recebe e enviar correspondência é o poeta Pablo Neruda. Mario admira Neruda e espera pacientemente que algum dia o poeta lhe dedique um livro ou aconteça algo mais do que uma brevíssima troca de palavras ou o gesto ritual da gorjeta.
O seu desejo ver-se-á finalmente realizado e entre os dois vai estabelecer-se uma relação muito peculiar. No entanto, a conturbada atmosfera que se vive no Chile daquela época precipitará um dramático desenlace…




O Cego de Sevilha (Robert Wilson)

É semana santa em Sevilha. Um empresário de renome é encontrado atado, amordaçado e morto em frente do seu televisor. As feridas auto-infligidas deixam perceber a luta que travou para evitar o horror das imagens que foi forçado a ver. Quando confrontado com esta macabra cena, o habitualmente desapaixonado detective de homicídios Javier Fálcon sente um medo inexplicável.




A Voz dos Deuses (João Aguiar)

Em 147 a.C., alguns milhares de guerreiros lusitanos encontram-se cercados pelas tropas do pretor Caio Vetílio. Em princípio, trata-se apenas de mais um episódio da guerra que a República Romana trava há longos anos para se apoderar da Península Ibérica. Mas os Lusitanos, acossados pelo inimigo, elegem um dos seus e entregam-lhe o comando supremo. Esse homem, que durante sete anos vai ser o pesadelo de Roma, chama-se Viriato.
Entre 147 e 139, ano em que foi assassinado, Viriato derrotou sucessivos exércitos romanos, levou à revolta grande parte dos povos ibéricos e foi o responsável pelo início da célebre Guerra de Numância.
Viriato foi um verdadeiro génio militar, político e diplomático. Mas, sobretudo, foi o defensor de um mundo que morria asfixiado pelo poderio romano: o mundo em que mergulham as raízes mais profundas de Portugal e de Espanha. É esse mundo, já então em declínio, que este livro tenta evocar.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Descobri Que Te Amo (Ann E. Cannon)

Este livro fala-nos de uma história de amor juvenil, contada do ponto de vista de quatro adolescentes diferentes, cada um com um problema diferente na sua relação com outro.
Ed é um rapaz simples e aborrecido, que tem um trabalho de Verão na Reel Life Movies, uma loja de aluguer de vídeos e DVD, onde nem sequer o seu crachá tem o seu nome, mas sim “Sergio”. Quando certo dia uma rapariga entre na loja, é amor à primeira vista para Ed. Mas com medo de ser rejeitado pela pessoa que é, Ed finge ser “Sergio”, um rapaz sexy, confiante e convencido.
Mas no meio de todas as peripécias de Ed para conquistar Ellie, novos paixões secretas vão sendo descobertas. Scout, a melhor amiga de Ed, há muito que gosta dele e sente ciumés da atenção que Ed dá a Ellie. Da mesma forma, Quark, um rapaz tímido e reservado, fica perdidamente apaixonado por Scout.
É no meio de todas estas complicações amorosas que se entrelaçam, que Ann Cannon nos trás uma leitura repleta de sarcasmo e humor, que nos cativa em cada pequeno capitulo com a sua escrita simples e directa. Com o tom divertido e contagiante, somos capazes de mergulhar no mundo destes quatro jovens, sentindo-nos parte da vida de cada um, e torcendo para que atinjam a felicidade.
Com todas as peripécias e reviravoltas de um romance juvenil, Descobri que te amo é definitivamente um livro divertido e amoroso, fazendo-nos reflectir sobre a nossa forma de olhar o amor, enquanto nos rimos às gargalhadas. Por ser um livro fácil e de rápida leitura, repleto de uma descontracção contagiante, é uma obra que deve agradar mesmo aos mais velhos, embora fale das tramas de adolescentes.




Autor: Ann E. Cannon


Editora: Marcador


Páginas: 224


Género: Romance

Destaques Teorema

A Teorema lançou a 18 de Abril O Legado de Wilt, mais um volume da saga de Henry Wilt, criada por Tom Sharpe.



O Legado de Wilt (Tom Sharpe)

Mais um episódio da divertida saga de Henry Wilt, um personagem que se não conhece tem mesmo de descobrir. O britânico Sharpe criou este professor de literatura em 1976 e desde então as suas aventuras até na televisão surgiram. “O mais divertido escritor da actualidade”, segundo o Observer, que mais uma vez não poupa nos elogios, dizendo ser este “mais um clássico do mestre da farsa e da sátira social”.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Desejo INsaciável (Kresley Cole)

Com um carácter erótico indiscutível, que se anuncia logo no inicio do livro, somos apresentados a uma história de paixão poderosa, envolta numa nuvem de fantasia e sensualidade.
Através de personagens fortes, somos ensinados como tudo é possível por amor, até ao ponto de nos moldarmos ao nosso parceiro.
Conforme vemos a paixão desmedida mostrada por Lachlain, um lobisomen aprisionado por 150 anos, que ao sentir o cheiro da que lhe está destinada consegue escapar; e a timidez fingida de Emmaline, uma meia-vampira meia-valquíria, forçada a acompanhar Lachlain até ao seu castelo; percebemos que esta será uma história forte, cheia de riscos e perigos.
Conforme lemos não só nos sentimos atraídos pela história e pelo mundo que nos é representado, frio mas erótico, vamos sendo levados por um conflito de emoções, ao ficarmos ora do lado de uma ora de outra das personagens principais.
É com uma escrita poderosa e uma muito bem conseguida sensualidade que Kresley Cole nos transporta para o seu mundo repleto de vampiros, lobisomens, valquírias e espíritos, representados de uma maneira diferente do usual. Todos eles com guerras, surpreendentemente, complexas entre eles, onde existe tanto amor como ódio.
Recomendo este livro a todos aqueles que conseguem esperar para lá das primeiras páginas por o verdadeiro conteúdo da história emergir, mas que esperam um ritmo avassaladoramente rápido e recheado de emoções fortes no final. Com isto não querendo dizer que o inicio está mal conseguido, apenas que o jogo de perseguição perturbante inicial, e que não desenvolve realmente a história, pode não ser para todos os gostos.





Autor: Kresley Cole


Editora: Gailivro


Páginas: 336


Género: Fantasia

Destaque Pergaminho

A 15 de Abril foi posto à venda um livro cujo título cria desde já uma grande expectativa. Ora vejam bem… chama-se… Beber, Jogar, F*der.



Beber, Jogar, F*der (Andrew Gottlieb)

Bob Sullivan era um marido fiel e dedicado até ter sido abandonado pela mulher. Farto de ser o bom da fita, decide gastar o dinheiro que lhe sobra (entre as contas do advogado e a pensão de alimentos) a viajar pelo mundo, a divertir-se e a dar cabo de alguns neurónios. Deixa a casa de Nova Iorque para ir beber até cair para o lado na Irlanda; jogar dia e noite nos melhores (e piores!) casinos, em Las Vegas, e deliciar-se com os prazeres (não culinários) da carne na Tailândia.

Depois de uma vida inteira a ser responsável, seguro e previsível, Bob decide entregar-se às suas fantasias mais loucas. Afinal, qual de nós nunca sonhou entrar num concurso de atirar facas à porta de um pub em Dublin? E o que poderá ser mais excitante do que ganhar uma fortuna num jogo de cartas para a perder logo a seguir com uma aposta descabida num jogo de futebol? E quem sabe que prazeres se poderão desvendar numa cabana tropical nas profundezas de uma floresta tailandesa?

Beber, Jogar, F*der é uma narrativa surpreendente, cheia de humor e deveras inspiradora, que revela como as mais profundas transformações espirituais também podem advir de comportamentos menos espirituais!

domingo, 24 de abril de 2011

Destaques Chá das Cinco

Neste mês a Chá das Cinco continua a série de Sherrilyn Kenyon.



Sedução na Noite (Sherrilyn Kenyon)

Valério é um Predador da Noite romano desprezado pela maioria dos predadores gregos que alimentam um profundo ódio à civilização que o viu nascer. De origem aristocrática e arrogante, Valério mal sabe o que pensar quando conhece Tabitha Devereaux. Ela é sensual, imprevisível e incapaz de o levar a sério. Mas é também irmã gémea da mulher do seu maior rival.
A única coisa que Tabitha leva a sério é matar vampiros. E agora terá de enfrentar, junto com o predador romano, o mais mortífero de todos os seus inimigos… uma ameaça acabada de regressar do mundo dos mortos. Para vencer este mal, Valério precisa de aprender a confiar em alguém e pôr tudo em risco para proteger o homem que odeia e a mulher que o leva à loucura.

Destaques Dom Quixote

Aqui fica a lista dos títulos que a Dom Quixote lançou (ou ainda vai lançar) durante o mês de Abril.



Os Buddenbrook (Thomas Mann)

Em Os Buddenbrook, o primeiro romance de Thomas Mann, o autor descreve a ascensão e a decadência de uma família burguesa alemã através de quatro gerações. Mais do que uma crónica em torno da vida e costumes dos seus personagens, este romance é um paradigma das contradições e dilemas de uma classe cujo poder e domínio se constroem sobre a fraude, a hipocrisia e a alienação.

Nas livrarias desde 11 de Abril.




Lisboa, Um melodrama (Leopoldo Brizuela)

17 de Novembro de 1942. Lisboa. Portugal. Numa única e interminável noite, enquanto refugiados de toda a Europa esperam a partida do navio Boa Esperança para se porem a salvo dos nazis, a gesta do Cônsul argentino é o crivo em que se entrecuzam, como num folhetim, as “histórias mais secretas” de um período sem par na História.
Pode uma longa e intensa noite marcar e mudar irreversivelmente a história de um conflito? Podem a fadista Amália, o casal Tânia e Enrique Santos Discépolo, o Cônsul argentino, o misterioso Ricardo De Sanctis que assegura ser banqueiro e «refugiado pessoal» do Patriarca de Lisboa, ser personagens principais do momento em que tudo parece mudar?

Nas livrarias a 30 de Abril




Rabos de Largatixa (Juan Marsé)

Numa linguagem objectiva e translúcida, que contrasta com uma profunda carga emotiva e moral, Rabos de Lagartixa revela uma estrutura narrativa tão hábil quanto imaginativa, e mostra como são frágeis e ambíguos os limites entre a realidade e a ficção, a verdade e a mentira, o bem e o mal, o amor e a indiferença.
Com esta obra, que obteve o Prémio Nacional da Crítica 2000 e o Prémio Nacional de Narrativa 2001, em Espanha, Juan Marsé reafirma-se como um dos mais importantes escritores, não só da literatura espanhola como da contemporaneidade europeia.

Nas livrarias desde 11 de Abril.




Menos por Menos (Pedro Mexia)

Nesta antologia pessoal, Pedro Mexia oferece-nos uma selecção de poemas retirados dos seus seis livros de poesia escritos entre 1999 e 2007. Cem poemas que reúnem o que de melhor existe na obra de um dos mais conceituados autores da nova geração da poesia portuguesa contemporânea.

Nas livrarias desde 11 de Abril.




Liberdade (Jonathan Franzen)

No seu primeiro romance depois de Correcções, Jonathan Franzen dá-nos um épico contemporâneo do amor e do casamento. Liberdade capta, cómica e tragicamente, as tentações e os fardos da liberdade: a excitação da luxúria adolescente, os compromissos abalados da meia-idade, as vagas da expansão suburbana, o enorme peso do império.
Ao seguir os erros e alegrias dos personagens de Liberdade, enquanto lutam para aprender a viver num mundo cada vez mais confuso, Franzen produziu um retrato inesquecível e profundamente comovente dos nossos tempos.

Nas livrarias a 25 de Abril

sábado, 23 de abril de 2011

Destaques Camões e Companhia

Aqui fica a lista dos títulos que a Camões e Companhia lançou durante o mês de Abril.


O Livro de Victor Frankenstein (Peter Ackroyd)

Século XIX. Dois estudantes de Oxford, o investigador Victor Frankenstein e o poeta Percy Shelley, encontram-se e formam uma amizade improvável. Shelley desafia as convenções religiosas de Frankenstein e abre-lhe os olhos para noções estéticas sobre criação e vida.
Obcecado por estes novos ideais e desejoso de reanimar os mortos, o jovem cientista inicia experiências anatómicas num celeiro isolado perto de Oxford. Mas estes espécimes revelam-se imperfeitos, e cedo Victor transfere o seu laboratório para uma fábrica abandonada em Limehouse.
E é então que o cientista se cruza com os ressurreicionistas, cujos métodos macabros colocam Frankenstein em grande perigo enquanto ele trabalha fervorosamente para criar a terrífica criatura que irá imortalizar o seu nome…



Clube de Patifes (Dan Simmons)

No Verão de 1942, Joe Lucas, agente do FBI, chega a Cuba por ordens de J. Edgar Hoover para manter Hemingway debaixo de olho. O famoso escritor reunira um grupo, a que chamara Clube de Patifes, para se envolver num perigoso jogo amador de espionagem. Mas é então que Lucas e Hemingway, contra todas as expectativas, descobrem informações secretas vitais… e o jogo torna-se verdadeiramente mortal.
Em Clube de Patifes, Dan Simmons desenvolve os factos conhecidos e transforma-os numa grande obra de suspense histórico nas paisagens sensuais da Cuba dos anos quarenta.

Ash (Malinda Lo)

Sinopse:

In the world of ASH, fairies are an older race of people who walk the line between life and death, reality and magic. As orphaned Ash grows up, a servant in her stepmother's home, she begans to realise that her beloved mother, Elinor was very much in tune with these underworld folk, and that she herself has the power to see them too. Against the sheer misery of her stepmother's cruelty, greed and ambition in preparing her two charmless daughters for presentation at court, and hopefully Royal or aristocratic marriage, Ash befriends one of these fairies-a mysterious, handsome man-who grants her wishes and restores hope to Ash's existence, even though she knows there will be a price to pay. But most important of all, she also meets Kaisa, a huntress employed by the king, and it is Kaisa who truly awakens Ash's desires for both love and self-respect...Ash escapes a life with her grim and self-serving stepmother and finds her beloved one... ASH is a fairy tale about possibility and recognizing the opportunities for change. From the deepest grief comes the chance for transformation.



A estreia literária de Malinda Lo lembra-nos em alguns aspectos a história da Cinderela, embora a heroína se apaixone por uma bela caçadora, em vez de um príncipe, modernizando o conceito da história, sem no entanto reduzir a sua intensidade.
A prosa de Lo é tão bonita como é sugerido pelo enredo, através das suas descrições exuberantes ela confere um toque especial a clássica Cinderela, o que agradará a um público mais amplo, especialmente entre aqueles que procuram um romance adolescente.
Para além destas pequenas nuances, existem outras duas grandes diferenças da Cinderela original. A primeira é a introdução das fadas, uma cultura por direito próprio, que costumava ter contactos regulares connosco mortais, e a segunda é a introdução da Caçadora do Rei, uma mudança agradável, no tradicional formato das fantasias, na sua maioria dominado pelos homens.
Essas duas grandes diferenças animam o desenvolvimento de Ash, em primeiro lugar através da atracão por uma das fadas, Sidhean, e em segundo pelo fascínio por Kaisa, a Caçadora Real, que apesar de um inicio titubeante na história, gradualmente assume o papel principal na condução da mesma até à sua conclusão.
A nossa compreensão actual, limita a nossa ideia de fadas e tudo o que está relacionado com elas a pura fantasia e temas para adormecer as crianças. Mas de acordo com as leis da natureza outros mundos existem, embora a nossa ignorância seja total em relação a eles, assim com as formas de vida que os habitam. Como podemos ter a certeza que as fadas e outros seres espirituais, não têm um lugar lá fora, no cosmos? Não podemos. É por essa razão que continuamos a insistir que elas são apenas fantasia, pois ignoramos a sua existência como espécie.
No mundo de Ash, as fadas são uma antiga raça de pessoas que caminham sobre a linha que separa a vida da morte, a realidade da magia. Enquanto a órfã Ash cresce, na casa de sua madrasta, ela começa a perceber que sua amada mãe, Elinor, estava em sintonia com as pessoas desse mundo, que ela própria também tem a capacidade para ver.
Contrariando a miséria absoluta a que fora votada pela sua madrasta, a crueldade, ganância e ambição desta na preparação de um casamento aristocrático para as suas duas filhas, Ash torna-se amiga de uma dessas fadas - um homem misterioso e belo - que lhe concede todos os seus desejos e lhe renova a esperança numa vida melhor, mesmo sabendo que haverá um preço a pagar.
Mas ainda mais importante que isso, ela conhece Kaisa, a caçadora real, e é Kaisa quem desperta todos desejos em Ash, quem lhe devolve o amor e a auto-estima, permitindo-lhe escapar à vida desagradável que ela leva ao serviço madrasta, e lhe permite encontrar o verdadeiro amor.
Apesar de habilmente disfarçado como um conto de fadas, Ash fala-nos sobre a possibilidade de reconhecimento de oportunidades para mudar as nossas vidas. O que afinal, é algo que todos nós estamos fazendo continuamente. Através de Ash, Malinda Lo passa-nos uma mensagem de optimismo no futuro, a mensagem de que depois da tempestade vem sempre a bonança.




Autor: Malinda Lo


Editora: Hachette Children's Books


Páginas: 304


Género: Fantasia


Idioma: Inglês

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Destaque Antígona

Lançado este mês com um prefácio de Teolinda Gersão, Ondina é um livro cuja influência convém conhecer e reconhecer. Uma leitura imperdível.


«Que adorável poema é Ondina! Este poema é, ele próprio, um beijo.»
HEINRICH HEINE


Na vasta obra de La Motte-Fouqué (1777-1843), que inclui desde poesia de inspiração diversa a contos, narrativas, romances e teatro, destaca-se Ondina – o conto maravilhoso agora publicado pela Antígona. Um dos textos mais lidos e celebrados no seu tempo, Ondina (1811) é a reactualização de um mito – o da ninfa e espírito das águas que abandona o seu admirável mundo subaquático, onde árvores de coral resplandecem com frutos azuis, e parte em busca de uma alma humana.

Elogiada por Heine e Poe, a obra Ondina exerceu um genuíno fascínio sobre os leitores no período romântico, pela mestria literária, pelos novos moldes a que a matéria mitológica foi sujeita e pelos temas intemporais: Ondina como metáfora da condição do Homem, como ser imperfeito e condenado à errância, dissolvendo-se simbolicamente nas águas ou perdendo-se no vento.

Como obra intemporal, o legado de Ondina reflectiu-se no campo literário (por exemplo, n’ A Sereiazinha, de Hans Christian Andersen, e em Ondine, de Jean Giraudoux) e em várias expressões artísticas, da ópera e do bailado (Undine, de E.T.A. Hoffmann) ao cinema, destacando-se recentemente Ondine, o filme de Neil Jordan.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Destaques Nascente

Aqui fica a lista dos títulos que a Nascente tem programados para este mês.



Matthew, Fala-me do Além (Suzanne Ward)

Milhões de pessoas acreditam que o Céu é um lugar real. Embora existam muitas ideias acerca de como é exactamente o Céu e de como se chega lá, nunca houve certezas, até hoje. Através de uma série de conversas telepáticas entre Matthew Ward, que morreu aos 17 anos, e a mãe Suzanne, ficamos a conhecer, em primeira mão, as impressionantes actividades e diversidade da vida no reino a que chamamos Céu.

Saiba toda a verdade sobre o Céu, compreenda o propósito da sua vida e prepare-se, com confiança, para o futuro.



A Arte de Ser Feliz (Ian Mecler)

O caminho para a felicidade pode parecer-nos complexo e difícil. Usando os ensinamentos da Cabala, uma das mais antigas sabedorias espirituais do mundo, Ian Mecler ajuda-nos a iniciar a nossa viagem.

Em A Arte de Ser Feliz, o autor mostra-nos que é possível alcançar o bem-estar e a harmonia se nos dedicarmos à compreensão dos textos sagrados, pois neles reside o segredo para as sete práticas transformadoras que nos conduzem à felicidade: DESEJO – ESCOLHA – SINTONIA – MEDITAÇÃO - PROPÓSITO – REFINAMENTO – AMOR.

Coloque em prática as técnicas de meditação deste livro e encontre a felicidade através da Cabala.




Conversar com os Espíritos (Rebeca Rosen)

Conversar com os Espíritos é o novo livro da famosa médium Rebecca Rosen que conduz o leitor por uma viagem de autodescoberta. Com um programa prescritivo que funcionou com clientes famosas como Jennifer Aniston e Courteney Cox Arquette, Conversar com os Espíritos explica os leitores como aumentar a sua intuição, unir-se com os entes queridos falecidos, e ultrapassar os obstáculos psicológicos que os prendem e não os deixam viver plenamente.

Os fãs de James Van Praagh e John Edward, bem como os fãs da série de televisão Entre Vidas encontrarão conselhos diretos e realistas sobre como atrair a sua intuição para unir-se com a energia dos espíritos – entes queridos que faleceram –, de modo a obter o discernimento necessário para lidar com questões-chave da vida real –, incluindo relações amorosas, realização profissional, finanças e imagem corporal.

domingo, 17 de abril de 2011

Wicked Lovely - Tatuagem (Melissa Marr)

Sentindo a necessidade de ter uma mudança na sua vida, Leslie, de dezassete anos, decide fazer uma tatuagem. Ao procurar uma tatuagem que goste, uma em particular chama-lhe a atenção, e Leslie sente que tem de a ter. O que ela não sabe é que não é ela que está a escolher a tatuagem, mas a tatuagem que a escolhe a ela.
É num mundo obscuro e complexo que Melissa Marr desenvolve esta segunda história da sua saga, aprofundando os conceitos já introduzidos no livro anterior, mas inserindo um conto distintamente diferente nele. Através de tragédias e dramas, vemos como Leslie lida com a sua sede de poder, atraída para o mundo obscuro e malévolo das fadas.
Sem deixar completamente de parte a história do livro anterior, Melissa Marr criou um livro com uma atmosfera mais pesada, com temas provocantes e perturbadores, e ao mesmo tempo embrenhando-nos na sua visão de um mundo feérico, tão distinto daquele a que estamos habituados.
Com uma escrita simples e elegante, Melissa Marr empurra-nos de adversidade em adversidade, conforme nos sentimos mais e mais relacionados com Leslie. O mundo criado, assim como a própria demanda da personagem principal deste livro, é completamente viciante, levando-nos a ler página após página com a necessidade de descobrir mais sobre este mundo fantástico.
Embora a atmosfera deste livro seja diferente do anterior, tornando-se mais adulta, não deixo de recomendar a sua leitura para todas as idades, pois é daqueles livros que nos ensina algo novo sobre nós próprios e nos dá uma lição, subtil, de como lidar com os contratempos com que nos podemos deparar no nosso caminho.





Autores: Melissa Marr


Editora: Saída de Emergência


Páginas: 272


Género: Fantasia

O Braço Esquerdo de Deus (Paul Hoffman)

Cale é um rapaz adolescente que, como muitos outros, foi arrastado ainda em criança para um Santuário de crenças religiosas fortes, com um regime brutal e cruel. Com a premissa de os tornarem assassinos exímios e guerreiros fiéis, seguindo a Única e Verdadeira Fé como se nada mais no mundo existisse, são sujeitos a uma crueldade e violência inimaginável, lutando para sobreviverem apenas mais um dia.
Mas certo dia, Cale depara-se com algo terrível que ultrapassa qualquer crueldade que alguma vez tivesse visto ou sofrido, acabando com uma única opção... Fugir.
Hoffman transporta-nos para um mundo, inicialmente, bastante diferente do que estamos habituados a ver em livros de fantasia. A brutalidade, violência e crueldade que gira à volta do mundo de Cale pode chocar muitos corações, sendo que a escrita simples e directa ainda nos absorve mais no mundo de barbaridades frias que nos é descrito. No entanto, conforme a narrativa avança, vamos reparando em detalhes característicos de um livro de fantasia e aventura fantástica. Cale acaba como um herói relutante, perseguido por razões que ele não compreende totalmente. Contudo, Hoffman consegue sugar-nos para o seu mundo, tão parecido e ao mesmo tempo tão diferente de tantos outros, como se o víssemos pela primeira vez.
Existe também uma componente romântica neste livro, que se vai devolvendo com o avanço das páginas, mas que só se torna mais aparente para o final, dando a entender que poderá ser um ponto fulcral nos próximos livros da trilogia.
Embora para alguns possa ser uma obra violenta e perturbadora, não há maneira de negar a criatividade e capacidades narrativas de Hoffman. A história é excelente com os seus vários acontecimentos inesperados, e com pontos de vista distintos das várias partes do mundo criado por Hoffman.




Autores: Paul Hoffman


Editora: Porto Editora


Páginas: 400


Género: Fantasia

Túneis - O segredo da Cidade Eterna (Brian Williams e Roderick Gordon)

Este livro conta-nos a história de Will, um rapaz de aspecto albino, fascinado pela arqueologia, tal e qual o seu pai.
Will passa a vida a fazer escavações, acreditando que um dia encontrará algo maravilhoso para partilhar com o mundo. Mas certo dia o pai desaparece e Will descobre um túnel na cave da sua casa onde o pai trabalhava.
Decidido a encontrar o pai e a trazê-lo de volta, Will aventura-se, com o seu amigo Chester, num mundo subterrâneo, donde poderá não conseguir escapar com vida.
Conforme seguimos Will na sua aventura, ficamos espantados com a imensidão dos seus descobrimentos, assim como com a brutalidade do que o espera no subsolo, populado por pessoas robustas e autoritárias, governadas com mão de ferro por um grupo restrito, os Styx.
A escrita é simples mas apelativa, embora por vezes contenha algumas frases demasiado longas, tornando-as confusas, mas são poucas. O que não é de forma algo vantajoso em livros com um público alvo tão jovem.
Por outro lado, achei que as personagens estavam pouco aprofundadas, não permitindo que nos relacionássemos com elas ao ponto de nos preocuparmos realmente com o que lhes acontecia, o que neste género de livro é essencial. Talvez isto aconteça por ser um livro destinado a um público bastante jovem e os autores tenham optado por desenvolver mais o mundo de fantasia que propriamente as personagens, mas evidentemente que a qualidade do livro sofre com isso.
Embora seja destinado a pré-adolescentes, achei este livro bastante interessante. Não considero que seja uma obra de arte fenomenal, mas para quem gosta deste género de livro, acho que é uma boa leitura.





Autores: Brian Williams e Roderick Gordon


Editora: Casa das Letras


Páginas: 408


Género: Fantasia/Aventura

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Destaques Esfera dos Livros

A editora Esfera dos Livros, publicou no dia 12 de Abril, a visão de quatro testemunhas privilegiadas da História contemporânea portuguesa.


As Primeiras Damas (Alberta Marques Fernandes)

Quatro mulheres, quatro primeiras-damas do pós-25 de Abril, reunidas pela primeira vez. Manuela Eanes, Maria Barroso, Maria José Ritta e Maria Cavaco Silva, todas elas hóspedes em tempos passados de um palácio que conhecem bem. Na fotografia sente-se a falta de Maria Helena Spínola, mulher do primeiro presidente da República pós-revolução, general António de Spínola e Maria Estela Costa Gomes, mulher do marechal Francisco Costa Gomes, o homem que sucedeu a Spínola. Se estivessem presentes, o retrato das primeiras-damas da democracia estaria completo.

Se as duas primeiras damas, donas de casa exemplares, preferiram permanecer na sombra dos seus maridos, todas as outras, com carreiras profissionais próprias, viram nas suas novas funções uma oportunidade única de estender a mão a quem mais precisava. De intervir na sociedade ao lado dos seus maridos. Em conversas únicas, Alberta Marques Fernandes recolheu as suas memórias, as histórias que ainda não tinham sido contadas, as lembranças que cada uma guarda do Palácio de Belém.

Se as duas primeiras damas, donas de casa exemplares, preferiram permanecer na sombra dos seus maridos, todas as outras, com carreiras profissionais próprias, viram nas suas novas funções uma oportunidade única de estender a mão a quem mais precisava. De intervir na sociedade ao lado dos seus maridos. Em conversas únicas, Alberta Marques Fernandes recolheu as suas memórias, as histórias que ainda não tinham sido contadas, as lembranças que cada uma guarda do Palácio de Belém.

Todas elas são testemunhas privilegiadas da História contemporânea portuguesa. Presenciaram momentos fundamentais, como os primeiros passos da democracia, a entrada do país para a CEE, a dissolução da Assembleia da República em 2004, entre outros, e privaram com outros protagonistas da História mundial como Margaret Tatcher, François Miterrand, Nelson Mandela, os reis de Espanha, madre Teresa de Calcutá, Os papas João Paulo II e Bento XVI.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

O heróico major Fangueira Fagundes - Passatempo


Com o apoio da Esfera do Caos tenho hoje dois exemplares de O heróico major Fangueira Fagundes (com todolos seus anexos) para oferecer aos meus leitores. Podem aproveitar para saber mais sobre o livro antes de participar.
O desafio hoje será um pouco diferente. Considerando o interessante nome do protagonista do livro, quero que sugiram outro nome igualmente bizarro mas apelativo para uma personagem central de um livro.
Não precisam de justificar, nem de dizer nada mais além do nome que criaram, mas se quiserem adicionar um título completo para o livro eu terei todo o gosto em ler as vossas propostas.
Sejam criativos até dia 24 deste mês!



Regras do passatempo

1) Preencher todos os dados solicitados correctamente.
2) Apenas participantes com moradas de Portugal.
3) Apenas uma participação por cada nome, email e morada.
4) O não cumprimento da regra 3) poderá levar a exclusão em passatempos futuros.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Destaques Ésquilo

Aqui fica um relançamento da Ésquilo lançado durante este mês, aproveitando a estreia do filme de Clint Eastwood Hereafter.



Experiências de Quase-Morte

Vivências transformadoras que nos suscitam a reflexão sobre o verdadeiro sentido da vida e a grande pergunta: que “portas” abrirá a morte à nossa consciência? Uma coisa é certa: em termos científicos, já não se pode afirmar que a mente e a consciência dependem do cérebro e do corpo físico para permanecerem vivas e em pleno funcionamento.

É necessário que a morte deixe de ser um tema tabu. Esta obra fala da morte com a mesma naturalidade da vida: como um continuum que não causa qualquer aflição ou pavor. Margarida Rebelo Pinto, Adalberto Alves, Fernando Dacosta, Isabel Wolmar e Maya, são algumas das personalidades portuguesas que passaram por uma experiência de quase-morte (EQM). Em entrevista aos autores deste livro, contam aquilo que viram, o que sentiram, e até, por vezes, o desejo de ficar do lado de lá.

Relatos Verídicos - Experiências de Quase-Morte recolhe mais de duas dezenas de testemunhos de quem passou por este tipo de experiências e analisa, com rigor científico, a possibilidade de que a mente e a consciência existam independentemente do corpo físico, do cérebro. Esta análise científica foi coordenada pelo professor Manuel Domingos, presidente da Sociedade Portuguesa de Neuropsicologia, e teve o contributo do cardiologista holandês Pim van Lommel (cujo estudo sobre EQMs foi publicado na prestigiada revista de Medicina Lancet), para explicarem os pontos de vista e os limites da ciência, e darem a sua perspectiva, enquanto cientistas, sobre o fenómeno. De que forma a física quântica, os conceitos de Luz, de energia e de não-localidade podem ajudar a explicar as EQMs? O que vêem as pessoas que seja capaz de mudar para sempre a sua vida? Onde começa e onde termina o papel do cérebro? Estas e outras questões são respondidas em discurso indirecto e em entrevistas, numa linguagem simples, clara e acessível ao grande público.

A fechar o livro, um artigo do investigador Paulo Alexandre Loução vai às raízes históricas destas experiências e explora a sabedoria Antiga em relação ao tema da morte e da sua natural aceitação. Uma obra inédita que conjuga o lado humano, a ciência e a tradição de uma forma inovadora. Uma nova perspectiva de enfoque sobre o fenómeno natural a que chamamos morte.

“O nosso cérebro, é, na realidade, uma máquina fabulosa que consegue efectuar qualquer coisa como alguns muitos milhões de operações por segundo (…). Mas não tenhamos ilusões, (…) a essência do nosso ser não é apenas algo produzido por umas moléculas, por uns átomos.” Manuel Domingos (Presidente da Sociedade Portuguesa de Neuropsicologia)

“O cérebro recebe a consciência, mas não a produz.” Pim van Lommel (Cardiologista holandês, cientista de referência no estudo das EQMs que participa neste livro)

terça-feira, 12 de abril de 2011

Anjo Mecânico (Cassandra Clare)

Nesta antologia Cassandra Claire vai contar-nos a história de Tessa, uma adolescente de dezasseis anos que, após a morte da sua tia, é obrigada a viajar para Inglaterra para ir ter com o seu irmão mais velho.
No entanto, as coisas não ocorrem bem como Tessa esperava pois assim que chega a Londres é raptada pelas Irmãs Escuras, descobrindo que pertence ao Mundo à Parte e que tem o poder de assumir não só a aparência de qualquer pessoa tanto viva como morta mas também de se ligar à sua alma e saber o que outra pensa. As Irmãs Escuras aproveitam-se do poder de Tessa, maltratam-na e submetem-na a treinos excruciantes, até que lhe comunicam que Magister o líder da sua organização secreta quer casar com ela.
Mas inesperadamente é salva por Will, um belo e arredio caçador de sombras, que a leva para morar no Instituto de Londres, onde recorre à ajuda dos caçadores de sombras para encontrar o seu irmão. Além disso embrenha-se num triângulo amoroso com Will e James, também ele lindo mas frágil caçador de sombras.
Este livro ajuda-nos a entender melhor a mitologia que envolve os caçadores de sombras e as personalidade de alguns personagens da saga Caçadores de Sombras, sobretudo Magnus Bane, personagem carismática dos anteriores livros que aparece também neste.
Embora as relações no triângulo amoroso sejam muito semelhantes às dos livros de Caçadores de Sombras tenho de confessar que gosto muito mais de James que de Simon.
A escrita da Cassandra está também muito mais madura, descrevendo com grande perícia e para nosso deleite os grandes momentos de acção, mistério e romance. Sem dúvida que o livro enriqueceu muito com a descrição dos espaços da famosa Inglaterra Victoriana dando ao livro uma mais sombria e gótica aopetência.
Uma pena mesmo é o final em suspenso para nos deixar a todos loucos até ao próximo livro. De resto para mim o livro só tem aspectos positivos e é altamente recomendável.




Autores: Cassandra Clare


Editora: Editora Planeta


Páginas: 392


Género: Fantasia

Destaques Gailivro

A editora Gailivro, publica hoje dia 12 de Abril, aquele que será um lançamento simultâneo em todo o mundo:


Guia Oficial Ilustrado da Saga Twilight

Chega assim ao nosso país o guia definitivo e obrigatório da série fantástica que, em apenas cinco anos, vendeu mais de 116 milhões de exemplares e foi traduzida em cerca de 50 países,transformando-se num fenómeno literário à escala global.

Com material inédito, nunca antes publicado, o “Guia Oficial Ilustrado da Saga Twilight” reúne toda a informação indispensável à descoberta do inesquecível mundo criado por Stephenie Meyer ao longo de “Crepúsculo”, “Lua Nova”, “Eclipse”, “Amanhecer” e “A Breve Segunda Vida de Bree Tanner”.

O guia vem cheio de extras e inclui uma entrevista com Meyer, cerca de 100 belíssimas ilustrações e fotografias a cores, descrições exaustivas das personagens, bastidores, árvores genealógicas, mapas, paralelismos com universos literários similares e outro material exclusivo. O seu objectivo é completar todo o puzzle da história, sem deixar nenhuma ponta solta.

As expectativas da autora em relação a este novo livro são auspiciosas. “Fico sempre surpreendida com a quantidade de questões pertinentes que os leitores colocam sobre as minhas personagens e o mundo que as rodeia na Saga Crepúsculo”, diz Meyer com entusiasmo.

“Espero ter incluído no “Guia Oficial Ilustrado da Saga Twilight” o máximo de informação detalhada sobre a série, nomeadamente histórias associadas a determinadas personagens, como o passado de Alice, por exemplo. E estou fascinada com as ilustrações conseguidas por Young Kim (ilustrador do primeiro volume de “Crepúsculo: A Novela Gráfica”, bestseller do New York Times) e outros talentosos artistas, com destaque para o vestido de noiva de Bella. Espero que todos os leitores sintam que valeu a pena esperar!”

segunda-feira, 11 de abril de 2011

O Indesejado - Vencedores do passatempo


E os três vencedores foram...

Andreia Sofia Marques Nabais

Priscila Andreia da Silva Beato

Maria Rosa Martins da Silva Ferreira

O Enigma (Alison Croggon)

Este livro melhora em relação ao anterior, começamos a reconhecer um certo lado negro e perigoso em toda a história. Apercebemo-nos de factos e medos das personagens do livro anterior, em especial a relação de Cadvan e Maerad.
Enquanto Maerad começa a captar escuridão dentro de si, e a luz se afasta dela, Cadvan demonstra ser um servo da luz que já conheceu a escuridão. Este desenvolvimento também começa a acontecer a nível romântico, o que nos cria imensas ideias e dúvidas sobre a relação dos dois personagens. Associa-se a tudo a uma escrita, muito boa e flúida, dando origem a um extraordinário livro para os amantes de sagas de aventura fantásticas.
O Enigma, segundo livro das Crónicas de Pellinor, é uma obra extraordinariamente divertida e repleta de acção. Da riqueza descritiva das cenas, à construção elaborada das personagens, passando pelo mistério criado em volta da história, o leitor é imerso num frenesim de emoções.
A história muito bem desenhada fala-nos de monstros distintos, convincentes, monstros com personalidade e vontade próprias. O livro tem com boa cadência narrativa, começando exactamente onde parou o volume anterior: reina o caos em Annar, Maerad e seu mentor Cadvan estão em fuga, são perseguidos por Luz e Escuridão. Com a ajuda de Owan d'Aroki, Cadvan e Maerad viajam para a Ilha de Thorold para visitar a Escola de Busk.
Com o intensificar da procura, a história intensifica-se, e Maerad começa a duvidar de si própria e sobre o seu verdadeiro propósito, o que ameaça o seu relacionamento com Cadvan. Maerad encontra-se perante inimigos jamais enfrentados, entre eles a sedutor e extremamente perigoso Rei do Inverno.
Em O Enigma Alison Croggon, com a sua elaborada narrativa, não decepciona continuando a criar excitação e intriga. Com muitas voltas e reviravoltas, O Enigma responde a algumas perguntas e vai dando aos leitores pistas sobre o possível desenvolvimento desta fantástica série, continuando a proporcionar bons momentos de leitura a todas as idades.




Autores: Alison Croggon


Editora: Bertrand Editora


Páginas: 496


Género: Fantasia

domingo, 10 de abril de 2011

Monster High (Lisi Harrison)

Este pequeno livro, embora destinado claramente a uma faixa etária mais jovem, com todo o seu conteúdo sobre música pop, cinema e celebridades, expõe-nos um problema, de uma maneira muito mais divertida, pelo qual muitos adolescentes passam, que é a luta pela individualidade e a aceitação dos outros com base na personalidade e não na aparência.
Para isto, Lisi Harrison conta-nos a história de duas raparigas completamente diferentes. Por um lado temos Frankie Stein, neta do próprio Frankenstein, e com um aspecto muito semelhante a ele, que “nasceu” há apenas quinze dias e começa agora o Liceu. Por outro lado temos Melody Carver, uma rapariga que mudou de cidade para começar uma vida nova após o pai, cirurgião plástico, lhe fazer um “trabalhinho” ao nariz.
É através das peripécias destas duas raparigas, e dos seus amigos, que entramos num mundo de fantasia, cheia de personagens interessantes, e com os usuais triângulos amorosos e paixões juvenis.
Sendo uma leitura leve e rápida, pontuada de diálogos e situações divertidas e hilariantes, é sem dúvida um livro ideal para os mais jovens, pois demonstra de uma forma simples e divertida, como a juventude de hoje é, apontando tanto os seus lados bons como os maus. O que é uma perspectiva original, mostrar os problemas da adolescência como algo real e não reduzi-los a amores não correspondidos como acontece em tantos livros do género.
Penso que o melhor ponto do livro seja mesmo as personagens, que se destacam umas das outras pelas suas personalidades distintas, fazendo-nos querer saber cada vez mais sobre cada uma conforme vamos avançando na história. O livro não é nada previsível e acaba sempre por nos apanhar despercebidos, com momento tanto ternos, como hilariantes
Aliás um dos pratos fortes do livro é, sem dúvida, o seu humor fora do convencional que levará os leitores não só a dar umas boas gargalhadas como a pensar.
Com um final que nos faz ficar a roer de curiosidade para saber o que aí vem, considero uma leitura a não perder mesmo para os mais leitores experientes que não se importam de ler algo muito divertido e fora do normal de vez em quando.




Autores: Lisi Harrison


Editora: Contraponto


Páginas: 224


Género: Fantasia

Destaques Presença

Aqui deixo a lista das novidades da Presença da primeira metade do mês.




Os Idealistas (Zoë Heller)
Quando Audrey descobre um segredo devastador sobre o seu marido, um advogado nova-iorquino activista político, vê-se forçada a reavaliar todas as suas certezas em relação a um casamento de quarenta anos. Mas também os filhos do casal verão as suas vidas abaladas pelo súbito terramoto emocional que se vem juntar aos muitos dilemas que já lhes perturbam os dias e que desencadeia, em cada um deles, uma crise de identidade. Uma farsa familiar hilariante e negra, onde tragédia e comédia se entretecem numa malha subtil e sarcástica, que fascina desde logo o leitor pela forma soberba como as personagens surgem iluminadas e pela perspicácia com que Zoë Heller se move nas áreas mais profundas e desconfortáveis da natureza humana.

Tropa de Elite 2 (Cláudio Ferraz, Luiz Eduardo Soares e André Batista)
Se no volume anterior de Tropa de Elite toda a atenção se encontrava direccionada para os traficantes, neste novo acto da tragédia da violência urbana brasileira, o foco é dirigido para as milícias. Alicerçada em factos reais, a meio caminho entre a memória, o jornalismo literário e a ficção, esta obra vem revelar-nos o funcionamento das milícias e dos bastidores policiais, as práticas, as emoções e os valores envolvidos, e mostrar que, ainda assim, nem tudo está perdido na política e na polícia. Proporcionando vários níveis de leitura, este novo livro reúne todas as características de um bom thriller e a informação rigorosa de um documentário antropológico e sociológico.



A História das Coisas (Annie Leonard)
Após ter produzido um vídeo, de extrema simplicidade gráfica e de grande impacto mundial, sobre a cadeia dos processos de extracção, produção, distribuição, consumo e eliminação das «coisas», Annie Leonard escreveu este livro, cujos principais capítulos são aqueles pontos-chave. A sua obra, fruto de 20 anos de pesquisa no terreno, demonstra como, sem ceder ao pessimismo, é urgente que reinventemos uma economia cuja sustentabilidade se adapte aos recursos finitos do sistema principal - a biosfera terrestre da qual fazemos parte.

O Grande Muu! (O Grupo dos 33)
O mundo mudou, mas as empresas não acompanharam a mudança. Agora ser suficientemente bom não basta porque tudo é suficientemente bom. Já não queremos ficar satisfeitos, queremos que nos espantem. Para isso, é preciso ter uma ideia tão extraordinária que ninguém consiga ignorá-la. Mas como chegar até ela? Com o intuito de responder a esta questão, Seth Godin reuniu um grupo de mentes originais e criativas que revelam os segredos para ser notável. Em parábolas divertidas e memoráveis, poderá encontrar os ingredientes que permitirão à sua empresa continuar a crescer num mundo onde o que é notável hoje não passará de vagamente familiar amanhã.



Tobias e o Anjo (Susanna Tamaro)
Marta é uma menina de oito anos que vive no quarto andar de um grande prédio, nuns subúrbios tristonhos com edifícios todos iguais. Tem uma televisão, um papá e uma mamã, só que qualquer destes três nunca parece disposto a escutá-la e muito menos a conversar com ela. Não tem irmãos, mas por sorte o avô vem sempre visitá-la e ensina-lhe muitas coisas. Mas, um dia, o avô não aparece como habitualmente, e assim começa para Marta uma viagem em busca do seu próprio caminho...

Jesus de Nazaré (Joachim Gnilka)
Ainda que fazendo face à escassez das fontes, Joachim Gnilka, um prestigiado professor da Universidade de Munique, tenta analisar ao longo desta obra a vida pública, a mensagem e a história de Jesus. Através do estudo da situação histórica, política, religiosa e social da época, bem como dos Evangelhos, Gnilka oferece ao leitor uma biografia credível, lúcida e séria, que conta com a qualidade de tradução de Teresa Toldy.



Mamã Maravilha (Orianne Lallemand)
Neste livro encantador os estados de espírito e os sentimentos de uma mãe são vistos através dos olhos do seu filho. Uma homenagem a todas as mães, acompanhada de ilustrações enternecedoras que cativarão os mais jovens.

Um Acampamento nas Cataratas do Niágara (Geronimo Stilton)
«Naquela manhã, quando acompanhei o Benjamim à escola, a professora estava a escrever no quadro o nome do local aonde iam fazer um excursão da escola. Eu tropecei e perdi os óculos. Pareceu-me ler Diário dos Roedores e ofereci-me logo para levar a turma toda a visitar o meu jornal… Nem imaginava que me ia meter numa viagem tão extrarrática!»