terça-feira, 30 de novembro de 2010

O Olimpo dos Desventurados - Vencedores do passatempo


Aqui ficam mais três nomes de vencedores.

Patrícia Nogueira Xará

Paulo Alexandre Rocha Teles

Maria da Graça Silva

Parabéns a todos, a editora fará chegar-vos o vosso prémio!

O Olimpo dos Desventurados (Yasmina Khadra)

Este livro traz-nos uma realidade em geral pouco retratada no mundo literário e que quando é não é o certamente desta forma, tão neutra, doce e filosófica.
Este livro traz-nos a história de dois sem-abrigo que criam um relacionamento profundo entre eles e que apesar de toda a miséria em que vivem conseguem ter momentos muito felizes, o que demonstra que o amor, esse sim, é o mais importante para a felicidade. Existem também vários personagens secundários bastante fascinantes que apesar de serem mendigos têm uma personalidade bastante marcada e sedutora.
O livro acaba com a ideia estereotipada que a maior parte das pessoas tem dos sem abrigos que não passam de vagabundos de mente oca e preguiçosos.
O livro está carregado de significados ocultos e reflexões filosóficas que cabe ao leitor descobrir e interpretar. Os maiores são mesmo o mar que demonstra por um lado a liberdade e beleza despojada da vida dos mendigos e a outra a lixeira que simboliza as condições deploráveis em que vivem.
Um livro profundo, belo, cheio de uma tristeza doce e melancólica que nos enche o coração, capaz de enternecer mesmo os corações mais empedernidos e de fazer pensar as mentes mais enferrujadas.




Autor: Yasmina Khadra


Editora: Bizâncio


Páginas: 304


Género: Romance

Destaque Civilização

Há momentos assim na vida. De puro prazer. Quer se trate daquele cocktail ao final de um extenuante dia de trabalho ou para receber os amigos que vão jantar lá a casa, quer se trate, por outro lado, do chocolate que se pode transformar nos melhores doces e bolos do mundo, a Civilização apresenta dois novos livros para hedonistas genuínos: O Meu Livro de Cocktails e O Meu Livro do Chocolate.
Sendo duas obras que apelam à sofisticação dos sentidos, O Meu Livro de Cocktails e O Meu Livro do Chocolate são edições especiais de coleccionador, em formato almofadado e com uma qualidade gráfica irrepreensível.



O Meu Livro de Cocktails
Este sofisticado livro está repleto de cocktails que depressa farão parte dos seus preferidos. A abrangente selecção inclui desde cocktails clássicos até cocktails com um toque moderno, passando por cocktails que irão alegrar as suas tardes de Verão e cocktails que irão abrilhantar as suas festas pela noite dentro. Com fotografias inspiradoras e um índice de consulta fácil, este é um livro que não desejará emprestar a ninguém.

O Meu Livro do Chocolate
Este livro é uma festa para os olhos e para o paladar, uma selecção de receitas de chocolate elaboradas para nos fazer sentir bem. Perverso? É claro que sim. Agradável? Também. Repleto de imagens para ilustrar cada receita, este livro inclui também técnicas de uso e conservação, e conselhos sobre os melhores chocolates a utilizar nas receitas.

Destaque Clube do Autor


São os dois primeiros títulos da colecção Os Livros da Minha Vida e, curiosamente, podem ambos ser vistos como livros "de aventuras" ou "juvenis".
No entanto são dois livros intemporais de leitura indispensável como Eduardo Marçal Grilo (O Corsário Negro) e Miguel Sousa Tavares (A Ilha do Tesouro) mostram através das suas escolhas nestas magníficas edições para as quais assinam o prefácio.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quem me Dera Que Estivesses Aqui (Francesc Miralles)

Um romance extraordinário cujo mote me relembra um conto de fadas de um rei que vê o retrato de um donzela, se apaixona sem saber mais nada dela e faz uma louca demanda à sua procura.
Daniel não se apaixona pelo retrato de uma mulher mas pela sua voz ao cantar músicas com que identifica profundamente, mas ao contrário do rei que se apaixonou pela mera beleza física da donzela, Daniel apaixona-se pela alma da cantora. E ele que até ali sempre tinha tido uma vida escrupulosamente controlada, deixa tudo para em buca da misteriosa cantora.
Adorei a forma engraçada e sarcástica como o personagem se vê a ele mesmo e à sua vida que, de facto, tem detalhes a raiar o absurdo como a noiva deixá-lo por amigo depois de 7 anos de namoro, acontecimento que vai despoletar a paixão pela cantora...
O livro tem uma escrita leve e agradável e está repleto de pequenas surpresas e mistérios que farão as delícias de qualquer leitor.
Não se trata de apenas mais um romance de cordel, mas de um romance enternecedor que relata as pequenas tragédias da vida e como elas por vezes criam alternativas melhores para nós, revolucionam a nossa vida e nos fazem crescer. Um livro emocionante e cativante da primeira à última página.




Autor: Francesc Miralles


Editora: Contraponto


Páginas: 216


Género: Romance

Destaque Estampa

Nestes últimos meses do ano a Editorial Estampa lançou um álbum ilustrado com a reprodução de magníficas pinturas que dão vida a algumas das mais memoráveis figuras femininas da Bíblia cujos relatos estão aqui reunidos.


De Abi a Zipora, Mulheres na Bíblia narra as histórias das mulheres, poderosas e humildes, que povoam as páginas do Antigo e do Novo Testamento, bem como dos livros bíblicos designados apócrifos. São histórias de amor verdadeiro, devoção e piedade, incesto, luxúria, prostituição, adultério, poligamia, necromancia, decapitação, traição e violência: de abuso e exploração das mulheres pelos homens e do modo como as mulheres conseguiam a vingança. Ilustrado com obras de grandes mestres de pintura, este livro foi concebido a pensar na facilidade de consulta e escrito numa linguagem clara e directa.

domingo, 28 de novembro de 2010

Homens - Caçá-los, Domá-los, Amá-los (Belle de Jour)

Quem melhor para dar conselhos sobre como seduzir homens de que uma ex-prostituta? Principalmente quando não se trata de uma qualquer mas de Belle de Jour que se transformou numa super-estrela através do seu blog que deu posteriormente origem a uma série de TV.
Confesso que não tinha lido sobre ela e nem tinha visto a série mas que este livro me surpreendeu pela sua visão inteligente e engraçada de como ela vê os homens e com os conselhos bastante úteis para agradar aos homens, sem os habituais machismos de que uma mulher tem de mudar para agradar a um homem. É evidente que através da sua breve carreira Belle adquiriu uma visão generalista e muito útil de como funciona a mente masculina.
E deixando-nos de purismos, a verdade é que uma prostituta tem uma visão privilegiada e única dos homens, pois é quando estão com elas que muitas vezes eles tiram a máscara que usam durante os relacionamento e mostrando aí a forma mais obscura e secreta da sua personalidade, já que estão a pagar (e bastante) para terem exactamente aquilo que desejam.
Logo, penso que será muito interessante para qualquer mulher ter acesso a esta visão sem passar pela mesma experiência. Pois não em vão que o ditado diz: "Uma dama à mesa....".




Autor: Belle de Jour


Editora: Objectiva


Páginas: 256


Género: Testemunho

Destaque Guerra & Paz

«A publicação da correspondência de Raul Leal e Jorge de Sena […] constitui um alto acontecimento cultural, para além de uma justa homenagem, como ela [Mécia de Sena] belissimamente escreve, a um grande espírito de fidalga e inesquecível presença.»
Do prefácio de José Augusto Seabra


São assinalados como dois vultos da cultura nacional e a Guerra & Paz compila agora em livro 19 cartas e postais de Raul Leal, além de vários textos inéditos de ambos os autores.


Jorge de Sena (1919-1978) é natural de Lisboa. Inicia intensa actividade literária no final dos anos 30. Envolve-se na luta contra a Ditadura, acabando por se auto-exilar no Brasil e, mais tarde, nos EUA. Como ensaísta, poeta, dramaturgo, contista e romancista é uma das grandes figuras da literatura portuguesa do século XX. Portugal não soube conceder-lhe em vida a consagração que a sua obra merecia.

Raul Leal ficou conhecido pelo seu livro Sodoma Divinizada, publicado na Olisipo, de Fernando Pessoa, e mais tarde na Contraponto de Luiz Pacheco. Grande figura do modernismo português, colaborou com as revistas Orpheu, Portugal Futurista e Centauro.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Vida - Vencedores do passatempo


Obrigada a todos pela adesão! Foram mais de 50 poemas que pude ler atentamente e acabei por escolher dois de entre eles mas poderia ter escolhido muitos mais.
Os participantes vencedores são estes:

Vitor Humberto da Costa Cardoso

Suzana Margarida dos Santos Candeias

Parabéns, deverão estar a receber os vossos prémios muito em breve!

Vida - Já Perdoei Erros Quase Imperdoáveis (Augusto Branco)

Este livro traz-nos um poema motivacional já bastante divulgado na internet, quer através de blogs quer de mails, com várias versões adaptadas mas geralmente com a autoria errada.
Este livro oferece-nos a versão original do poema com o nome do verdadeiro autor e acompanhado de imagens muito belas e inspiradoras.
É um bom livro para se ver e ler quando nos sentimos mais em baixo, naqueles dias em que nem nos apetece sair da cama e achamos que nada vale a pena.
Este pequeno porém belo e sábio poema faz-nos reflectir profundamente e lembra-nos que tudo faz parte da vida e que não são só dias piores, vão haver também dias melhores e que os erros e as dificuldades nos ensinam e nos fazem crescer.
Uma grande lição de que por vezes nos esquecemos e que deve ser constantemente relembrada.




Autor: Augusto Branco


Editora: Booksmile


Páginas: 64


Género: Álbum ilustrado

Destaques Booksmile

No próximo dia 2 de Dezembro a Booksmile irá lançar dois novos títulos da colecção MiniBíblias, uma colecção com a qual celebra a beleza e os prazeres da vida através do registo fotográfico, deslumbrante e luxuoso.
Os novos títulos focam-se nas motos e no corpo.



Neste livro, os melhores fotógrafos mundiais prestam tributo à beleza do corpo humano. De cunho artístico e erótico, este álbum fotográfico apela a um público vasto, tanto masculino como feminino.





Esta luxuosa memória fotográfica leva o aficionado a uma viagem alucinante desde os anos 20 até ao presente. As imagens detalhadas dão a conhecer as marcas mais conhecidas e revelam a sua forma ascética e tecnologia inspirada. As fotografias mais generalistas são reveladoras de uma viagem evolucionária de designs experimentais, modelos clássicos e formas familiares e modernas.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A Virgem das Amêndoas (Marina Fiorato)

Os romances históricos que ultimamente tenho lido, apesar de eu adorar este género, têm-me desiludido um pouco, por se perderem em discrições exageradas e inúteis sobre a época, acontecimentos e personagens, por vezes parecendo mais livros de História do que propriamente
romances históricos, tornando a sua leitura muito maçuda para o leitor.
No entanto , não deviam servir apenas para informar o leitor de uma época histórica, mas também para o entreter.
Mas, este livro é simplesmente encantador. É uma leitura muito leve e agradável. E a escrita da escritora é tão deliciosa como o famoso Amaretto que nos descreve na obra.
A história inicia-se com Simonetta que se torna viúva ainda adolescente e apesar da sua situação nobre, encontra-se sem dinheiro. Bernardino Luini, um aprendiz de Leonardo da Vinci, que também se tornou um grande pintor, apaixona-se por ela assim que a vê...
Mas este livro é muito mais que uma história de amor, é uma grande lição de História, de pintura, de tolerância e de vida. E cumpre os dois objectivos que acima referi anteriormente de forma notável.
É um romance muito viciante, apelativo e cativante. A leitura passa a correr e a partir da primeira dúzia de páginas é impossível parar de ler.
As personagens são muito realistas e soberbas, mas a minha preferida é sem dúvida a da jovem Simonetta, uma rapariga bela, culta, inteligente, corajosa, bondosa e tolerante e um óptimo exemplo para as mulheres actuais, apesar da história ser passada no Renascimento.
Uma história imperdível que recomendo vivamente!



Autor: Marina Fiorato


Editora: Porto Editora


Páginas: 288


Género: Romance Histórico

Destaque Cavalo de Ferro

A Cavalo de Ferro lança este mês a sua colecção dedicada ao ensaio com um livro sobre o próprio prazer de entrar nos livros, da autoria de Herman Hesse, vencedor do Prémio Nobel.

Os livros são fonte de satisfação, de alegrias e de conhecimento, enriquecendo a nossa vida e aumentando o valor da nossa existência. Mas quantos de nós já não nos sentimos perdidos nessa floresta densa e por vezes hostil que é o mundo dos livros e da literatura? O que ler? Como encontrar o livro que secretamente procuramos? Hermann Hesse, escritor amado por gerações de leitores, guia-nos neste conjunto de textos fundamentais pela floresta de papel da literatura, introduzindo-nos à «magia do livro». Explica e ilustra com clareza o que significa encontrar um livro — acontecimento que pode ser tão ou mais importante do que o encontro com outra pessoa. Ajuda-nos de forma simples e precisa no passo mais delicado e fundamental: a criação da nossa própria biblioteca. Sugere-nos livros incontornáveis e explica-nos porque devemos travar conhecimento com eles. Reflecte de forma actualíssima sobre o universo da leitura e da escrita. Um livro fundamental, inédito em português, para todos os leitores que pretendam iniciar ou aprofundar o seu conhecimento na arte subtil da leitura.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Destaque Orfeu Negro

A Orfeu Negro prepara-se para lançar uma nova colecção a que deu o nome de "Casimiro". Nela irá reunir livros ilustrados para adultos e o primeiro título não poderia ser mais sugestivo.


Incrédulo, o leitor interrogar-se-á: mas então, dar peidos também é uma arte? Se a pergunta o atormentar, irá encontrar a resposta neste pequeno ensaio teórico-físico do séc. XVIII.
Clássico da literatura cómica, escatológica e pseudocientífica, A Arte de Dar Peidos confirma-nos que o peido é uma necessidade da natureza, uma condição de boa saúde, que pode e deve ser assumida como uma fonte de prazer. E até de arte, pois dar peidos não custa, custa é saber dá-los.

José María Lema é ilustrador, embora não tenha a certeza de ser “ caricaturista”, “pintor” ou mesmo «artista». Sabe que cada dia é uma folha em branco que deve ser iluminada.
Foi seleccionado em 2008, 2009 e 2010 para a Exposição Internacional de Ilustradores da Feira do Livro Infantil de Bolonha, tendo exposto o seu trabalho em diversos museus na Coreia e no Japão.
Integra o colectivo internacional de ilustradores Blue Book Group.
Nesta Arte de Dar Peidos, José María Lema dá luz ao ensaio teórico-físico e metódico de Pierre-Thomas-Nicolas Hurtaut, falso cientista mas verdadeiro filósofo do séc. XVIII.

A Ilha do Final do Tempo (Javier González)

Este livro é bastante diferente de todos os outros que já li porque envolve vários géneros literários: aventura, romance, mistério, fantasia, ficção cientifica, entre outros.
O tipo de escrita e a história fez-me lembrar um pouco os romances de Dan Brown, embora este autor tenda mais para a fantasia...
Não é um livro simples, nem uma história simples. Apesar da sua extensão a acção desenrola-se muito rapidamente e entram muitos personagens secundários importantes para a história. Aliás, penso que a acção e a passagem dos personagens é rápida demais, quase não dando tempo
ao leitor de entender a mudança de contexto, de conhecer as personagens e de entender a relação entre elas, obrigando assim o leitor muitas vezes a voltar atrás na leitura para entender a sucessão dos acontecimentos o que por vezes se torna um pouco cansativo.
No entanto o livro tem uma história muito interessante e muito rica que vale a pena explorar. O ponto central da história é uma ilha mítica chamada San Borondón que apesar de se encontrar em alguns mapas, nunca foi encontrada na actualidade, nem existem provas da sua exigência. A narrativa é assim muito interessante, inteligente e com muitos pontos culturais curiosos é pena não ter sido um pouco mais desenvolvida. Mas é sem dúvida um livro que vale a pena ler.
No entanto, o final é deixado em aberto não sei se por o autor pensar dar-lhe continuação ou para o deixar à imaginação do leitor o desfecho, mas é uma pena esta história não ter um final mais sólido.



Autor: Javier González


Editora: Saída de Emergência


Páginas: 320


Género: Fantasia

Destaque Arteplural

Para os leitores com vontade de cuidarem da sua saúde, a Arteplural lança um guia ilustrado de Pilates muito simples de seguir.

Pilates – Guia Prático apresenta um programa simples que pode melhorar a sua saúde e o seu bem-estar através de uma combinação de exercícios, dieta e atitude positiva. Baseado no método desenvolvido por Joseph Pilates, o sistema de Ann Crowther foi concebido para se ajustar às suas capacidades e condição física, e é fácil de encaixar no seu agitado estilo de vida.
Encontre nestas páginas:
• A explicação dos princípios do método Pilates tradicional e a descrição do sistema aperfeiçoado por Ann Crowther, com mais de 60 exercícios passo a passo para melhorar a sua postura, força, condição física e coordenação, e aumentar a mobilidade das suas articulações, aliviar as dores nas costas, o stresse e, nas mulheres, a tensão pré-menstrual, assim como revitalizar o seu estado geral.
• 25 receitas altamente nutritivas para pequenos-almoços, almoços, lanches e jantares, pois para sermos saudáveis e mantermos a boa forma devemos complementar a rotina de exercícios com hábitos alimentares apropriados.
• Uma abordagem do poder curativo da mente, com base na premissa de que, para se ter um corpo forte, se deve ter uma mente igualmente forte.

Ilustrado com 150 fotografias passo a passo, Pilates é acessível e inspirador mesmo para quem ainda se está a iniciar na prática. Apresenta um sistema completo para transformar a sua vida, fazendo com que se sinta mais motivado e relaxado.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Viver o Sonho (Josephine Cox)

Este livro conta uma história de amor entre duas pessoas que sofreram grandes desilusões e viram as suas vidas destroçadas por acontecimentos passados.
Este livro, para além de ser um romance muito emotivo e absorvente, deve ser uma lição de vida para os leitores que lêem pois, tal como os personagens principais Luke e Amy, a maior parte das pessoas já teve desgostos amorosos e tragédias que atravessaram a sua vida, mas isso não é razão para simplesmente se viver uma vida apática e sem significado, antes como fizerem os personagens principais deve dar-se uma segunda oportunidade à vida e ao amor.
Luke não é o tipo galã romântico que tenta conquistar imediatamente a jovem Amy, pelo contrário é bastante diferente deste tipo de personagens, razão pelo qual o personagem nos cativa desde do inicio pela sua forma misteriosa e reservada de ser e pela sua paixão pela
pintura, que serve como escape para o fardo da sua vida que é uma esposa que já não ama, meia-louca por ter sido espancada por um amante.
Amy também não é protagonista típica feminina típica, ansiosa por cair nos braços do primeiro homem atraente que lhe aparece. Apesar da sua natureza doce, de ter um bom coração e da sua atenção ser atraída para Luke, tem também uma natureza muito racional que a leve a hesitar
quanto ao seu envolvimento com Luke, pois também ela teve um passado doloroso.
A escrita da autora é agradável e bastante cativante e tem um registo romântico mas bastante inserido na realidade, por isso estou bastante curiosa para ler outros títulos da autora.



Autor: Josephine Cox


Editora: Europa-América


Páginas: 304


Género: Romance

Destaque Antígona

A Antígona acaba de lançar o ensaio Classe - Uma ideia política sob o signo de Walter Banjamin de Andrea Cavalletti, professor de Estética e Literatura Italiana na Universidade IUAV (Arquitectura) de Veneza, e orador convidado para conferências em todo o mundo.


Classe, palavra que tinha desaparecido da cena política e teórica, recupera aqui, pela mão de Andrea Cavalletti, a dignidade conceptual de outrora, revelando-se capaz de iluminar o nosso presente. A fulgurante actualidade de uma nota inédita de Walter Benjamin, escrita em 1936 – onde se pode ler que a solidariedade, ao fazer emergir a autoconsciência, cria a classe –, é um ponto de partida fundamental deste livro, que nos faz perceber como a massa informe e a multidão (dois outros conceitos típicos da modernidade) se transformam em classe, mostrando-nos como a multidão perigosa e excitada reemerge no espaço político.

Destaque Oficina do Livro

Chakall, reconhecido chef argentino, apresenta Portugal Revisitado – um autêntico roteiro de viagem pelos sabores do nosso país.
Percorrendo várias cidades portuguesas, Chakall usa os ingredientes típicos de cada região para criar receitas originais e deliciosas, reinventando uma geografia dos paladares nacionais.
Em Portugal Revisitado, Chakall trocou o ambiente mais mundano dos restaurantes por uma cozinha ambulante, para dar a conhecer novos sabores com ingredientes tradicionais.
Nascido em Tigre, Buenos Aires, Chakall é filho de quatro culturas, com família de origem suíço-alemã, galega, basca, francesa e italiana. Antes de ser chef, estudou jornalismo. É um apaixonado pela cozinha e pelos países que vai conhecendo.
Representando Portugal, ganhou os prémios Gourmand World Award, Best Innovative Cookbook, Best Portuguese Cookbook, The Best of The Best Special Prize of The Jury, este último entregue na Feira do Livro de Frankfurt em 2008.
Depois de Cozinha Divina e Quatro Estações, Chakall oferece-nos Portugal Revisitado, o seu terceiro livro publicado na Oficina do Livro.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Destaque Guerra & Paz

O Advogado, o Cidadão e a Justiça é o título sob o qual a Guerra & Paz reune os melhores trabalhos a concurso na secção Cartoons e Caricaturas do Concurso de Arte lançado conjuntamente pelo Conselho Distrital de Lisboa e a Ordem dos Advogados.
O livro é lançado esta quarta-feira, 24 de Novembro, pelas 17h30 no Auditório Bastonário Angelo d’ Almeida Ribeiro – Conselho Distrital de Lisboa.
Na apresentação do livro e entrega dos prémios estarão presentes o Dr. Carlos Pinto de Abreu, autor do prefácio, o Dr. Manuel Fonseca, o Dr. Vasco Marques Correia, presidente do Júri do Concurso e o cartoonista Augusto Cid, autor da capa do livro.
O concurso tem procurado desenvolver artística e culturalmente a actividade do Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados e tentar fugir ao estritamente técnico, jurídico e profissional.

Solitude- Pequenas histórias de Grandes Viagens (Sérgio Brota)

Este livro fala-nos de histórias vividas pelo autor nas suas diversas viagens. A escrita é leve embora bastante descritiva dando ao leitor a possibilidade de, na sua imaginação, viajar com o autor através das suas diversas aventuras e desventuras, descobertas, problemas, pequenas alegrias e desilusões.
Se o livro tem a grande vantagem de nos permitir fazer todas estas viagens sem custos, sem chatices com a bagagem e sem sairmos do conforto do nosso sofá, desperta também no leitor uma vontade indomável de ele próprio partir à descoberta e à aventura para os sítios descritos pelo autor e ele próprio criar vivências inesquecíveis.
O livro tem também uma componente bastante educativa, tanto a nível cultural permitindo-nos conhecer realidades diferentes, como por ser um livro bastante útil e prático permitindo-nos ter conhecimentos de pormenores que nos permitem realizar as mesmas viagens com muito maior preparação e de forma mais agradável o que de outra forma não seria possível.




Autor: Sérgio Brota


Editora: Papiro Editora


Páginas: 120


Género: Romance

Destaques Pergaminho

Dois livros para ajudarem a enfrentar o mundo actual são as novidades da Pergaminho neste mês de Novembro.


Nem todas as relações são amorosas. Algumas são mesmo danosas. Nem tudo o que acontece entre um homem e uma mulher é amor verdadeiro – às vezes é apenas co-dependência. E isto acontece, pelo menos em parte, porque nem todas as mulheres sabem que a busca do Príncipe Encantado é o primeiro passo para uma vida de desencanto. Muitas vivem com a dignidade ferida e, por isso, já não sabem amar – o que as leva a procurarem homens que, na melhor das hipóteses, são autênticos sapos e, na pior das hipóteses, príncipes desencantadores.

Não vá em contos de fadas; aprenda a descobrir a magia no quotidiano e em si mesma – e a encontrar a capacidade de transformar a sua vida para melhor.


Irene é uma prestigiada terapeuta de casais que dedicou toda a sua carreira a investigar os mecanismos do amor e a ajudar os seus pacientes a recuperar a autoconfiança após uma separação. A sua vida familiar e pessoal, aparentemente organizada e tranquila, vê-se virada do avesso no dia em que (ignorando o sábio conselho da sua avó Justina, que dizia «quem busca o que não deve, encontra o que não quer») descobre, no bolso do casaco do seu marido Luís, a factura de um quarto de hotel em que ele esteve… com outra mulher.
A partir desse momento, Irene inicia um processo que tantas vezes ajudou os seus pacientes a encetar: o da separação, da aceitação de que a sua relação com Luís chegou ao fim. Prepara-se então para partir em busca de um novo amor, um caminho que a leva à autodescoberta e ao reconhecimento do seu poder de escolha. Com inteligência, sabedoria e muito sentido de humor, os autores do best-seller Amar de Olhos Abertos apresentam a chave para escutar o coração e descobrir a autenticidade nas relações amorosas.

Um livro sobre a busca do amor verdadeiro, aquele que nos permite dizer: «Contigo, posso ser quem sou.»

Destaque Casa das Letras

A Casa das Letras acaba de lançar uma novidade no campo Infantil/Juvenil que não nos traz somente a estreia de Moita Flores para um público mais novo, mas também as magníficas ilustrações de Ricardo Tércio, um ilustrador português que já desenhou para a Marvel Comics na série Spider-man fairy tales.


Francisco Moita Flores escreveu fascinantes histórias para que, enquanto te divertes, aprendas conceitos como o ciclo da água (evaporação, solidificação, condensação), a microbiologia (micróbios, vírus e bactérias), a astronomia (estrelas, planetas e cometas) e a alimentação dos animais (carníveros, herbívoros e omníveros).
Assim terás o prazer de conhecer a Maresia do Mar e a sua aventura marítima até chegar a Lisboa, um Rouxinol astronauta que partiu para o cometa Raio de Luz, o vírus Influenza, conhecido pelos amigos por Gripe, que se vai meter em graves problemas e, finalmente, a história verídica do jantar da Assembleia Mundial dos Animais Unidos, presidida pelo gorila Cacho de Bananas…

domingo, 21 de novembro de 2010

A Talentosa Flavia de Luce (Alan Bradley)

Curiosamente este é o segundo livro que leio de Flávia de Luce pois comecei pelo segundo livro e gostei tanto que não podia deixar de ler o primeiro livro desta fabulosa colecção.
Flávia de Luce é certamente a personagem infantil mais marcante de que eu tive conhecimento até hoje, quer seja pela sua mente arguta, muito mais inteligente e culta do que a de muitos adultos, quer pela sua paixão pela química e venenos, ou pelo seu humor negro e mente maquiavélica e mesmo por vezes cruel.
Não é para admirar que o livro tenha ganho um prémio tão importante.
Claro que a essência do livro é o mistério, como muitos dos livros de detectives, mas o que torna tão único é mesmo a personagem. Confesso que desde das primeiras páginas me apaixonei anda mais pela própria Flávia, personagem que até podia provocar-nos pena, pois é uma criança que cresce sozinha numa mansão decrépita, sem atenção e entrega à sua própria sorte e que tem de brincar sozinha.
No entanto, é o carisma da própria personagem que não nos deixa sentir pena dela. Antes pelo contrário, quase nos deixa com lágrimas de tanto rir com as partidas que prega às suas irmãs e intriga-nos com a sua mente arguta envolvendo o leitor nas suas brincadeiras e aventuras e diverte-o pelo seu sarcasmo.
Ou seja Flávia é fabulosa por si mesma, não precisa de mais ninguém a não ser do seu autor para lhe dar vida. Um livro, tal como o segundo, imperdível!




Autor: Alan Bradley


Editora: Editora Planeta


Páginas: 328


Género: Policial

Destaque Caderno

Dewey é um gato que fez enorme sucesso no primeiro livro que protagonizou e, por isso mesmo, a sua dona Vicky Morton traz mais das suas histórias em As Nove Vidas de Dewey.


Nunca houve um gato como Dewey, nem nunca haverá. Era um gato especial, tinha magia. Quando alguém entrava na “sua” biblioteca, na pequena cidade de Spencer, sabia exactamente se a pessoa precisava ou não de uma festinha, de um roçar de bigodes, de um colinho.
Dewey transformou a vida a centenas de pessoas, e a sua fama foi crescendo. Começaram a chegar àquela vila perdida no interior dos Estados Unidos turistas, vindos de países tão distantes como a Inglaterra ou o Japão, que apenas o queriam conhecer. Por isso, quando morreu aos 19 anos de idade, a notícia correu mundo…
As aventuras do gatinho foram relatadas pela dona, a bibliotecária Vicki Myron, num bestseller que vendeu cerca de um milhão de exemplares. E com o livro surgiram mais histórias, centenas, de outros gatinhos que, como Dewey, eram mágicos. Como Spooky, que devolveu a um veterano de guerra a vontade de viver. Ou Christmas Cat, que numa véspera de Natal sobreviveu milagrosamente a um afogamento para se tornar na alegria de uma amargurada mãe solteira.

sábado, 20 de novembro de 2010

O Filósofo, o Psicanalista e a sua Mulher (J. P. Sansilvatos)

Como já devem ter entendido, para mim é sempre mais complicado comentar livros de contos, porque se cada livro é um pequeno mundo com a sua própria história, um livro de contos tem muitos pequenos mundos com pequenas histórias muito próprias, tornando difícil fazer um comentário geral, que é precisamente o que acontece neste livro.
O autor tem uma escrita bastante envolvente e fora do vulgar criando pequenos mundo em cada uma das suas histórias cheios de significado e oferecendo através de cada um deles sentimentos muito diversos, desde humor, confusão, tristeza, sedução, erotismo...
Mas apesar de histórias tão divergentes também tem algumas coisas em comum, como estarem muito bem escritos e estruturados e terem a capacidade de despertar no leitor exactamente a emoção que está presente na história.
Para além disso, se por um lado os livro de contos têm as suas desvantagens, se forem muito bens escritos como é o caso deste livro, têm também as suas vantagens, sobretudo de despertar a imaginação do leitor a ir um pouco mais longe e desenvolver a história um pouco mais na sua cabeça do que o que está no próprio livro. Foi aquilo com o que me deparei neste livro, tive a necessidade de desenvolver algumas das histórias mais na minha cabeça, foi de facto um livro que despertou bastante a minha imaginação...




Autor: J. P. Sansilvatos


Editora: Esfera do Caos


Páginas: 168


Género: Contos

Destaques Guerra & Paz

Já estão nas livrarias duas novidades da Guerra e Paz que recuperam dois autores um pouco esquecidos entre nós. António José da Silva, escritor humorista português do século XVIII, e Álvaro Cunqueiro, um dos precussores do estilo denominado Realismo Mágico.


LIVRO DE AMORES E DE GUERRAS SONHADAS OU APENAS PRESSENTIDAS, DE INCIDENTES E DE CONSPIRAÇÕES, E NO QUAL SE TRANSMUTAM E MISTURAM TODAS AS IDADES, O ANO DO COMETA COM A BATALHA DOS QUATROS REIS É SOBRETUDOUMA MEDITAÇÃO APAIXONADA SOBRE A CONDIÇÃO HUMANA E A ARTE DE ESCREVER, SOBRE A POR VEZES DIFÍCIL CONVIVÊNCIA ENTRE A VERDADE DO QUE É REAL E O EXERCÍCIO DA LIBERDADE, E O MUNDO E O PALCO, O VIVO E O PINTADO DEPENDEM DE QUEM SONHA E O QUÊ.

No ano em que chega a Lucerna a notícia da aproximação de um cometa, Paulos, membrodo Colégio de Astrólogos, expõe e interpreta perante os cônsules os três sinais da grave influência da passagem do mesmo nos trabalhos e nos dias da cidade: a chegada dos visitantes vespertinos, que viajam sem sombra, o regresso momentâneo dos rios às suas nascentes, no tempo que dura um relâmpago, e por último, a aparição de um unicórnio. Paulos pretende conjurar estes prodígios e repelir a ameaça dos exércitos de Asad II com a ajuda de david, Artur e Júlio César, três reis antigos a quem procura e expõe o propósitoda da sua missão.


O que acontece quando um soldado Peralta e um diabinho da mão furada se tornam companheiros de aventura, numa viagem entre o Alentejo e Lisboa?

Publicada pela primeira vez em 1861 com o título Obras do Diabinho da mão Furada, a Novela Diabólica de António José da Silva - mais conhecido pelo cognome de Judeu - seria assim subintitulada em posteriores reedições, acabando por tornar-se popular pela ampla discussão em torno da sua autoria.

A presente edição do Diabinho da Mão Furada tem intenções pouco belicosas: importará mais levar o texto aos leitores do que prosseguir a cruzada das restituição autoral. Ou, abreviando, «Faze o sinal da cruz primeiro que leias, para que o mau fuja de ti e o bom te persuada.»

Este livro é acompanhado por ilustrações de Lucy Pepper.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Destaques Bertrand

A reedição da tradução de Aquilino Ribeiro de uma das maiores obras literárias de todos os tempos, acompanhada por ilustrações de Gustave Doré, e um livro da autora portuguesa Maria Teresa Horta são mais duas novidades Bertrand para este mês.





A obra literária de Maria Teresa Horta tem frequentemente contribuído para alterar os modelos estéticos ou comportamentais instituídos e tem muitas vezes sido, ao longo das últimas décadas, um sinalizador de mudanças essenciais, quer no âmbito literário, quer inclusivamente de alcance social.
A Paixão segundo Constança H. traz consigo toda a violência e todo o sofrimento daquele a quem coube em sorte viver num mundo em transformação, onde os valores tradicionais da família e os afectos a que nos tínhamos habituado a considerar mais estáveis resvalam, gradualmente, para um terreno movediço e irrespirável.









Considerado o primeiro romance moderno, D. Quixote De La Mancha foi eleito em 2002 o melhor livro de todos os tempos por um conjunto de cem escritores nomeados pelo Instituto Nobel. D. Quixote, um fidalgo de Castela assanhado pela leitura de romances de cavalaria, decide que é seu "ofício e exercício andar pelo mundo endireitando tortos, e desfazendo agravos" e parte à aventura na companhia de seu fiel e prosaico
escudeiro, Sancho Pança. As hilariantes maluquices do Cavaleiro Andante liquidam, com a sua "moral do fracasso", as últimas ilusões da epopeia: aquilo a que Adorno chama "a ingenuidade épica". Depois de D. Quixote, nada mais será igual.
Uma tradução de Aquilino Ribeiro, considerada uma das melhores traduções da obra para a língua portuguesa.

Perfeitos (Scott Westerfeld)

Como o próprio título indica neste segundo livro da saga, Tally deixa de ser uma adolescente imperfeita, para se tornar uma adolescente perfeita como a maior parte dos outros adolescentes da sua idade e não tem memória da sua anterior rebeldia.
Neste novo livro o autor traz mais uma vez a sua sua crítica ao mundo actual disfarçada de ficção para jovens adultos. No entanto, se isto em Imperfeitos, acontecia de uma forma ainda um pouco encoberta, em Perfeitos torna-se por demais evidente e é o que torna este livro tão diferente da outra literatura juvenil, por vezes quase literatura “plástica”.
Scott critica fortemente a insatisfação humana, pois mesmo numa sociedade tão aparentemente perfeita Tally sente-se vazia e aquilo não serve para ela. Aí está uma característica comum a todos os humanos e inevitável. E tal como no primeiro livro, critica a importância que cada vez mais é dada à aparência, demonstrando que uma aparência perfeita não é a solução para todos os problemas da humanidade como tanta gente agora parece pensar.
Mas Scott vai mais longe criticando desde a ignorânci dos problemas ecológicos à inconstância da humanidade. Claro que todos nos sentimos reflectidos nas suas personagens e críticas o que gera no leitor uma reflexão profunda sobre a sua própria personalidade. E hoje em dia são poucos os livros a este nível que levam um leitor mais longe e o obrigam a pensar.
A isso soma-se uma história emocionante, uma escrita agradável e dinâmica e personagens bastante bem construídos, o que torna este livro uma leitura imprescindível e cria uma grande ansiedade para ler o próximo livro da saga.




Autor: Scott Westerfeld


Editora: Vogais & Companhia


Páginas: 296


Género: Ficção Científica

Aviso referente a passatempos

Olá a todos os meus leitores e hoje, sobretudo, aos participantes nos passatempos.
Queria deixar um aviso aos vencedores dos passatempos realizados recentemente com dois títulos da editora Objectiva.


A pessoa que tratava do departamente de Comunicação da editora saiu recentemente e julgo que ainda não terá sido substituída.
Por esse motivo não me tem sido possível obter uma resposta e entregar a listagem de vencedores à editora para que possam enviar os prémios respectivos.
Irei continuar a contactá-los, por todos os meios disponíveis, e espero resolver a situação assim que possível.
Por isso tenho de pedir aos vencedores desculpa e, igualmente, paciência pela demora que vão sofrer.
Sempre que possível informarei os interessados do desenvolvimento da situação.

Destaques Esfera dos Livros


Rainhas Medievais de Portugal (Ana Rodrigues Oliveira)
De D. Teresa de Leão e Castela que, embora filha de rei e mãe de rei, foi casada com um conde e um condado governou, passando por D. Isabel de Aragão, a Rainha Santa, D. Inês de Castro, falecida antes da entronização do seu amado D. Pedro I, a D. Filipa de Lencastre, mãe da Ínclita Geração, até D. Leonor, mulher do rei D. João II, a historiadora Ana Rodrigues Oliveira traça o retrato das 17 rainhas medievais de Portugal.
Numa época em que as fontes escasseiam, os silêncios e as omissões são frequentes e em que as mulheres, mesmo sendo rainhas, eram vistas através, e em função, dos seus maridos, os reis, Ana Rodrigues Oliveira, baseada numa pesquisa exaustiva e numa investigação rigorosa, consegue trazer-nos as biografias destas mulheres, desvendando o seu papel, a sua acção, o seu sentir e a sua voz no fluir dos acontecimentos da sua família, da sua corte, dos seus reinos de nascimento e de casamento.
Nesta obra original e única, ficamos a conhecer estas mulheres que deixaram marcas no imaginário dos Portugueses, e através delas viajamos ao longo de quatro séculos de um período fascinante da História de Portugal.


Deus Existe, Eu Encontrei-O (André Frossard)
“Tendo entrado às dezassete horas e dez numa capela do Quartier Latin em busca de um amigo, saí de lá às dezassete horas e quinze na companhia de uma amizade que não era terrena.”
André Frossard tinha 20 anos, era um céptico ateu de extrema-esquerda, de origens judaicas, quando encontrou bruscamente, de forma fortuita, mas instantânea, a verdade cristã, “numa silenciosa e serena explosão de luz”. Sem qualquer tipo de evolução intelectual, de inquietação, sem percorrer um longo caminho para chegar até ela, sem procurar nada.
Deus Existe, Eu Encontrei-O é um testemunho pessoal e emocionante da forma como André Frossard encontrou a sua fé. Um acontecimento que operou em si uma alteração na sua forma de ver, de sentir, de pensar e uma transformação do seu carácter. Num tom intimista, o autor, membro da prestigiada Academia Francesa, traz-nos um relato raro e único que se tornou, em todo o mundo, num clássico da espiritualidade.
“Ora, acontece que eu sei, de modo extraordinário, a verdade sobre a mais disputada das causas e o antigo dos processos: Deus existe.”


Curso de Cozinha (Henrique Sá Pessoa)
Comecemos pelas ferramentas do ofício. Conheça tudo o que precisa de saber sobre carne, legumes, peixe, massas, molhos, etc. Arregace as mangas e comece a experimentar as receitas simples e que resultam. Aprenda a fazer arroz cozido, refogado e ovos mexidos… Ultrapassada a primeira aventura culinária, está apto para dar asas ao seu “espírito aventureiro” na cozinha e servir pratos como Massa de tinta de choco com camarão e chilli ou Bife com puré de batata e manteiga de queijo Roquefort. Parabéns! Já ultrapassou os dois primeiros níveis deste Curso de Cozinha de Henrique Sá Pessoa. Tirou as suas dúvidas, aprendeu truques essenciais e impressionou familiares e amigos. Mas para obter o diploma ainda tem de completar mais duas etapas. A fasquia fica mais elevada, os ingredientes vão puxar pela sua imaginação. O chef sugere Lombo de tamboril com crosta de especiarias ou Mousse de lima com framboesas. Não se preocupe, está pronto para assumir o comando por completo da sua cozinha e fazer receitas que mais ninguém faz. O diploma está à vista. Arrisque um Escalope de foie gras com puré de abóbora e chocolate preto, ou um Risoto de cepes com filete de pregado assado e creme de castanhas.


Álvaro Cunhal - Retrato Pessoal e Íntimo (Adelino Cunha)
Álvaro Cunhal era um pai dedicado. Os montes de neve retirados dos passeios durante os frios Invernos de Moscovo serviam para fazer a sua filha Ana, deslizar com um pequeno trenó. A alegria e o companheirismo ficavam registados em fotografias que ele próprio revelava em casa.
Estes e outros pormenores de um lado desconhecido do líder histórico do PCP são desvendados na primeira biografia de Álvaro Cunhal. Adelino Cunha traça um retrato completo do homem e do político. Da infância em Seia à entrada no PCP, do seu envolvimento na Guerra Civil de Espanha, às três detenções e à histórica fuga do Forte de Peniche, contada aqui pelos protagonistas que o acompanharam.
Numa pesquisa de mais de três anos, que levou o autor até Madrid, para falar com o histórico líder comunista espanhol Santiago Carrillo, e a Moscovo, onde reconstituiu o quotidiano de Álvaro Cunhal e recolheu documentos inéditos dos arquivos russos, o jornalista Adelino Cunha ouviu testemunhos únicos de pessoas próximas do líder, como Cândida Ventura, Sofia Ferreira, Margarida Tengarrinha, Carlos Costa, Joaquim Gomes, Aurélio Santos, a sua ex-companheira Isaura Moreira e a filha Ana Cunhal, que revelaram facetas e factos até agora pouco conhecidos da vida de Álvaro Cunhal.
Uma biografia fundamental sobre uma figura central da História contemporânea portuguesa.


O Inimigo nº 1 de Salazar (Pedro Jorge Castro)
Na manhã daquele domingo, 22 de Janeiro de 1961, os passageiros do paquete Santa Maria apercebem-se de que algo está errado quando encontram marcas de sangue no chão. Um homem armado impede-lhes o acesso ao convés superior. Os empregados fazem correr a notícia: “Uns rebeldes tomaram conta do navio.” A liderá-los está o capitão Henrique Galvão, o inimigo número um de Salazar.
Fervoroso salazarista, Galvão começa a desiludir-se e a afastar-se dos ideais defendidos pelo Estado Novo. A ruptura é assumida quando afronta o regime na Assembleia Nacional, onde denuncia a escravatura e vários negócios promíscuos que envolvem a Administração de Angola. Está aberta a porta para o confronto entre os dois homens. Segue-se uma tentativa falhada de atentar contra a vida do presidente do Conselho, em 1951, a prisão, uma espectacular fuga do Hospital de Santa Maria e o exílio. Salazar terá desabafado na altura: “Vamos arrepender-nos mil vezes. É muito mais perigoso que [Humberto] Delgado.”
O ditador não estava enganado. Galvão prepara a “Operação Dulcineia”, que ocupa as primeiras páginas da imprensa internacional e expõe o regime português como nunca antes tinha acontecido. Segue-se o sequestro de um avião da TAP de onde são lançados cem mil panfletos a apelar à revolução, e o depoimento contra Portugal na sede das Nações Unidas.
Com base em documentos, na maioria inéditos, de oito arquivos nacionais e do arquivo particular do capitão, e em testemunhos dos seus principais cúmplices, o jornalista Pedro Castro desvenda a vida de Henrique Galvão, num livro único, com uma narrativa empolgante onde não falta acção e intriga.

Amor e Sexo no Tempo de Salazar (Isabel Freire)
A mulher deveria ser perfeita. Uma dona de casa exemplar, sempre atenta ao marido e aos filhos, esmerada nas artes da cozinha e do bordado, com comportamento aprumado e decente. Nos anos 50, e sobre o olhar atento, conservador e católico de Salazar, o amor e o sexo eram temas tabus. Prevalecia a moral e os bons costumes.
A jornalista Isabel Freire, autora de Fantasias Eróticas, afasta a cortina espessa e pesada que rodeou o amor e a sexualidade nos anos 50 e traz-nos um livro original onde desvenda o mundo dos sentimentos no tempo de Salazar. Um mundo recheado de valores puritanos, de vexame, opressão, tirania e recalcamento sobretudo para o sexo feminino. Durante esta década, os direitos das mulheres portuguesas foram abafados e diminuídos. Forçadas à submissão de género, à dependência económica e afectiva, bem como ao apagamento sexual.
Através de uma pesquisa cuidada e de uma série de entrevistas a especialistas e a pessoas que viveram esta época, Isabel Freire conta-nos como se namorava nos anos 50, do flirt ao beijo na boca, explica-nos que a “mão na mão” dava direito a uma multa no valor de 2$50, já a “mão naquilo” valia 15$ de coima, fala-nos da vida boémia dos bordéis de Lisboa, dos partos em casa e dos abortos clandestinos, das expectativas e ansiedade dos noivos na noite de núpcias, das famílias felizes e da peste que era o divórcio.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Destaques Europa-América

Aqui ficam os destasques a alguns dos títulos que a Europa-América lança neste mês de Novembro.

Neste grandioso romance, Lawrence recorre à sua própria experiência para explorar os complexos laços emocionais que marcaram grande parte da sua vida.
A família Morel vive na região carbonífera de Nottingham. Desiludida com o marido, um mineiro rude e bêbedo, a Sr.ª Morel concentra todas as suas esperanças nos filhos, sobretudo em Paul.
À medida que Paul cresce, emergem muitas tensões: as paixões que alimenta por duas mulheres ficam comprometidas pelo conflito entre o amor e o sentimento de posse.









Reza a lenda que O Livro de Cale é um repositório de dados genealógicos de insignes portucalenses. Pergaminho amaldiçoado, dá azo a infâmias, lutas e assassinatos.
A folha misteriosa levará Bernardo Mendes a empreender a sua epopeia. Filho de Nuno Mendes, último conde portucalense que desditosamente pereceu na Batalha de Pedroso, em 1071, Bernardo Mendes é obrigado a refugiar-se no Mosteiro de Vallado, onde aprende o ofício de copista e se torna mestre de armas.
Dividido entre o amor de Mafalda, filha do pérfido Mendes Pais, abade de Santo Alberico, e a fidelidade aos monges do mosteiro rival, Bernardo Mendes, cuja história se funde com a conturbada fundação da nova nação, terá de vingar a morte de Hugo Mendes, seu tio, e revelar os segredos do Livro de Cale.





Os vampiros existem? Que formas tomam para seduzir os homens? Que armas podem destruí-los?
É a estas difíceis perguntas que este Tratado responde. Obra redigida no início do século XX pelo grande caçador de vampiros, o Dr. Van Helsing, que venceu o Conde Drácula .
Este genuíno livro é uma obra bem documentada sobre todos os aspectos do vampirismo, tal como a História, as lendas, o folclore, as crenças e as superstições nos apresentam. Antigos tratados e modernas fábulas, pela pena de Poe, Hoffmann ou Calmet, completam esta obra.
Um livro-de-cabeceira indispensável, com um lugar garantido entre o crucifixo, o terço e alguns dentes de alho.







Uma rapariga. Vida tem 19 anos, está doente e pode morrer a qualquer momento. Uma nova esperança, um coração alheio, fá-la compreender que só pode viver se outra pessoa morrer.
Um homem. Richard perdeu a sua esposa num acidente. A dor e o sofrimento levam-no a querer conhecer a rapariga que recebeu o coração da sua mulher.
Um coração. No hospital, Vida conhece Richard e apaixona-se por ele. Pode um coração em segunda-mão unir duas pessoas?

Destaque Clube do Autor

Já nas livrarias mais um título que a editora Clube de Autor lança, desta vez um livro de Helena Sacadura Cabral.



Nós de Amor é uma selecção de pequenas ficções escritas por Helena Sacadura Cabral sob diversos estados de alma. Trata-se da sua obra mais pessoal e mais intensa. É a escritora que se revela, escrevendo histórias envolventes, marcadas por personagens com quem facilmente nos identificamos, aprofundando sentimentos, evocando memórias de outras vivências.

Ler Nós de Amor é mergulhar na intimidade de Helena Sacadura Cabral, é descerrar um pouco a enigmática cortina sobre a mulher e a escritora. Reconhecida pelas suas observações directas e francas sobre o que de mais importante acontece na sociedade portuguesa, Helena Sacadura Cabral revela em Nós de Amor o seu lado mais intimista, delicado e sensível.

Poemas, contos, pensamentos. Alegria, tristeza, nostalgia. Nós de Amor é isto, é um livro sobre sentimentos íntimos, de sonhos, de desejos, de pedaços de um quotidiano que todos, a dado momento da vida, experimentamos.



A minha Avó

Uma frágil figura
Umas mãos pequenas.
Um rosto sereno,
Um olhar de mel.
Chamava-se Joana,
Era minha avó
E o amor da minha criancice.
Um dia, partiu.
Sem dizer adeus.
De repente, perdi
A infância e uma parcela de Deus.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Um Amor em Segunda Mão (Isabel Wolff)

Este romance é no mínimo original e diferente de tudo aquilo que li até hoje.
Várias histórias entrelaçadas num livro já não são novidade para mim, mas tantas histórias, tão envolventes e com personagens tão marcantes é certamente uma novidade e ainda por cima relacionadas com peças de roupas glamorosas.
Enfim, o livro fará certamente a delicia dos leitores que gostem de uma dose romantismo e de moda.
A história dos dramas Phoebe Swift que, para se recuperar das separações da melhor amiga e do namorado, cria a sua própria de roupa vintage dando novamente vida a belas peças de roupa por vezes bastantes danificadas, é apenas o inicio de muitas outras história das quais Phoebe é o fio condutor.
Cada peça de roupa tem uma história de diferente depende da pessoa a que pertenceu e que Phoebe não se cansa de imaginar, assim como vai permitir a Phoebe conhecer a história de cada uma das sua futuras donas e partilhar também com elas um pouco da sua história. É fantástica a forma como a autora consegue estabelecer relações entre as peças de roupa e as histórias das personagens, é quase como se as peças de roupa tivessem personalidade própria e transmitissem sentimentos muito próprios.
Claro que a personagem secundária mais marcante é a senhora Bell que vende a Phoebe um fantástico guarda-roupa e com quem acabará por desenvolver uma relação próxima, contando-lhe a sua história que tem várias ligações com a história de Phoebe e torna-se de certa forma algo terapêutico para as duas.
Adorei o livro e não consegui deixar de soltar algumas lágrimas nas partes mais emocionais do livro.




Autor: Isabel Wolff


Editora: Contraponto


Páginas: 352


Género: Romance

Flávia de Luce e os Mistério do Bosque de Gibbet - Passatempo


Mais um passatempo que hoje se inicia com o apoio da Planeta.
Em jogo uma aventura de uma das mais fantásticas personagens jovens que pude ler em tempos recentes.
Flávia de Luce é uma delícia literária com boa dose de humor negro.
Sei que os três leitores que ganharem este livro terão tanto prazer como eu tive em lê-lo.
Basta que participem respondendo a duas questões e depois sortearei os premiados entre quem tiver as respostas correctas.
Concorram até ao final de dia 25 deste mês!


Regras do passatempo

1) Ser seguidor do blog.
2) Preencher todos os dados solicitados correctamente.
3) Apenas participantes com moradas de Portugal.
4) Apenas uma participação por cada nome, email e morada.